Scroll Top

castanha-do-para dicas Dicas de Saúde Dicas Para Emagrecer

16 Benefícios do Óleo da Castanha-do-para

Nos enganamos ao achar que o azeite é o único óleo prensado a frio. Este, extraído da castanha-do-pará, também é, o que garante a preservação dos seus melhores nutrientes, sobretudo os ácidos graxos essenciais, não fabricados pelo organismo. O Óleo de Castanha-do-pará tem um sabor suave e pode ser usado para temperar saladas ou como ingrediente de vários tipos de receitas. A recomendação de consumo é de 1 a 2 colheres de sopa por dia. O óleo de castanha-do-pará é considerado um dos melhores óleos vegetais com poder de hidratação. É lubrificante e emoliente, o que torna a pele mais suave e impede a perda transliteral de água, aumentando muito a hidratação da pele e dos cabelos. Além disso, o óleo possui componentes importantes para repor a barreira lipídica da pele, minimizando o ressecamento e a desidratação. Pode ser usado tanto na pele do corpo e do rosto quanto nos cabelos. Ele proporciona maciez, suavidade e evita o ressecamento da pele (por ser emoliente). Forma um filme protetor sobre a pele impedindo a evaporação da água e a desidratação, podendo servir como ingrediente nos filtros solares. Quando aplicado nos cabelos, o óleo repara danos e devolve o brilho natural. Muito indicado para cabelos quebradiços, secos, opacos e quimicamente tratados por nutrir e hidratar profundamente os fios, ele é considerado um dos melhores condicionadores para cabelos desidratados e danificados. Em pessoas com cabelos escuros, o óleo vegetal de castanha-do-pará pode intensificar a cor. Tanto na pele como nos cabelos, o óleo pode ser aplicado puro ou combinado com cremes hidratantes ou até mesmo com outros óleos vegetais, além de que sua aplicação é possível de ser feita sempre que houver necessidade, sem restrições. Ele também é utilizado como ingrediente na produção de sabões e sabonetes artesanais, lubrificante para relógios e na fabricação de tintas para artistas plásticos. Certifique-se que o óleo vegetal é puro e natural antes de utilizá-lo, pois alguns podem conter substâncias químicas nocivas à saúde.Você pode encontrar o óleo de castanha-do-pará 100% puro

Um alimento rico em Selênio: Por ser uma grande fonte de selênio, que é o elemento que regula o funcionamento da glândula tireoide, evitando as variações de peso, tornou-se muito popular e passou a ser ainda mais consumida. O selênio também é antioxidante, portanto, o consumo de castanha-do-Pará protege o organismo dos radicais livres, prevenindo doenças e promovendo uma renovação celular que protege, inclusive o cérebro! É que o selênio se une a algumas proteínas produzidas em nosso corpo e assim, formam enzimas que combatem os radicais livres. Sem o selênio, essas proteínas não combatem os micro-organismos danosos e assim, prejudicam as defesas. A proteção do selênio é especialmente benéfica às células cerebrais, que ficam preservadas, evitando doenças neurodegenerativas, como as senis. Agora, as pesquisas se voltam para pacientes com o temido Mal de Alzheimer, para quem os pesquisadores acham, os radicais livres fazem maiores estragos. Esse mineral precioso também ajuda o organismo a se desintoxicar, eliminando substâncias tóxicas e metais pesados que possam ter se alojado nas células.oleo-castanha

Propriedades da Castanha do Pará: 100 g de castanhas do Pará fornecem 656 calorias. As sementes têm um elevado teor de gorduras (66g), mas boa parte deste conteúdo lipídico traz benefícios para o organismo (38% de gordura monoinsaturada, 32% de poli-insaturada e 23% do tipo saturada). Com relação aos teores de carboidratos e proteínas, em 100g encontramos 12 e 14g, respectivamente. A castanha do Pará é a principal fonte alimentar de selênio, 100 g das mesmas possuem 1917 µg desse mineral, o que representa 3485% das nossas necessidades diárias. As sementes ainda contêm quantidades significativas de magnésio (106%), fósforo (104%), manganês (58%), vitaminas do complexo B (especialmente a tiamina, 54%), zinco (43%), vitamina E (38%) e fibras (30%). Estas porcentagens também têm como base 100g de castanhas e uma correlação com as recomendações diárias para um indivíduo adulto. Elas contêm ainda, cálcio, potássio e ferro. Considerando as propriedades mencionadas vejamos quais são os benefícios da castanha-do-pará para a saúde.

Benefícios dos Óleos Funcionais

  • Servem para ter uma vida mais saudável
  • Eliminam problemas naturalmente
  • Deixam a pele e o cabelo bonitos e saudáveis
  • Melhoram o Sistema Imunológico
  • Trabalham na mente e no corpo
  • Dão aquele sabor e saúde na sua comida
  • Possuem excelente ação cosmética
  • São aplicados na agricultura e na agropecuária
  • Até em carros e armamento
  • Enfim, dão mais qualidade de vida!!!

Benefícios do Óleo de Castanha-do-Pará

Benefícios do Óleo de Castanha-do-Pará: Nos enganamos ao achar que o azeite é o único óleo prensado a frio. Este, extraído da castanha-do-pará, também é, o que garante a preservação dos seus melhores nutrientes, sobretudo os ácidos graxos essenciais, não fabricados pelo organismo. O Óleo de Castanha-do-pará tem um sabor suave e pode ser usado para temperar saladas ou como ingrediente de vários tipos de receitas. A recomendação de consumo é de 1 a 2 colheres de sopa por dia.

Alguns dos Benefícios do Óleo de Castanha-do-pará são: Os ácidos graxos essenciais, moléculas da chamada gordura do bem, sobram na castanha-do-pará. Destacando sobretudo os ômegas 6 e 9, comprovadamente benéficos para o coração. A oleaginosa contém, ainda, uma considerável quantidade de proteínas e dois minerais pra lá de importantes: o zinco, que afasta o risco de infecções oportunistas, além de atuar no crescimento e na cicatrização, e o selênio, que fortalece o sistema imunológico, que equilibra a tireoide e previne tumores. Sem falar em outra riqueza, a vitamina E, que é um poderoso antioxidante. Basta uma unidade para suprir as necessidades diárias desse nutriente. Segundo nutricionistas em São Paulo, o Óleo de Castanha-do-pará pode dar um gostinho especial à comida, mas não vale a pena usá-lo para cozinhar, já que é muito mais caro do que o óleo de soja, por exemplo, e não rende tanto. Adicione algumas gotas ao prato já pronto. E cuidado com a balança, pois o produto é bem calórico, uma colher de sopa soma 90 calorias.

Benefícios: O óleo de castanha-do-pará é considerado um potente lubrificante e emoliente, conseguindo através disso evitar o envelhecimento precoce da pele. Mas esse não é o único benefício do uso do óleo: a hidratação da pele aumenta e muito, pois ele contém substâncias que a torna mais suave e impede a evaporação de água da pele.

Estrias: são evitadas com o uso frequente do óleo, que auxilia na renovação celular e possui alto teor proteico. A chamada “gordura do bem” é encontrada no óleo na forma dos ácidos graxos ômega 6 e 9. O zinco também marca presença e afasta o risco de infecções. Já a grande quantidade de selênio, característica da castanha-do-pará, atua contra os radicais livres, além de ser anticancerígeno.

Outros poderes deste óleo: Fortalece as defesas do organismo; Ajuda nos processos de cicatrização; Equilibra a tireoide; Previne doenças neurodegenerativas.

Cuidar do cabelo: Precisa reparar os fios? Esse óleo é um ótimo aliado para tratar o cabelo naturalmente. Ele age como um poderoso hidratante, já que impede a evaporação da água, repara danos e devolve o brilho.

Na cozinha: Por ser mais bem mais caro do que o óleo de soja, a dica para aproveitar melhor o óleo de castanha-do-pará na cozinha é acrescentá-lo em pratos já prontos. Seu sabor suave e saboroso pode ser usado para temperar saladas, por exemplo. Vale lembrar que, apesar dos benefícios desse alimento, ele ainda é consideravelmente calórico (uma colher de sopa tem cerca de 90 calorias).

Cílios: Aplique o óleo de castanha do pará nos cílios com a ajuda de um pincel para cílios, aqueles de máscara para cílios, deixe o óleo agindo por 30 minutos e depois lave os cílios usando um de maquilante.

Unhas: Lave as unhas com um sabonete anti-séptico, aplique um pouco de óleo de castanha do pará e esfregue bem nas unhas para retirar o excesso, depois aplique uma base por cima e em seguida passe o esmalte, se quiser.

A castanha do Pará ajuda a proteger o coração: Apesar de ser muito gordurosa, e apresentar uma parcela significativa de gorduras do tipo saturada (22% da composição de gorduras), a castanha do Pará possui ácidos graxos (oleico e palmitoleico) que ajudam a aumentar os níveis de colesterol HDL e a diminuir os de colesterol LDL. O colesterol do tipo HLD ajuda a evitar doenças cardíacas, já o excesso de LDL está muito associado à ocorrência de aterosclerose, processo inflamatório nas artérias que pode provocar infartos. Um estudo feito com jovens obesos constatou que a ingestão diária de 15 a 25 g de castanha do Pará diminui os níveis de colesterol total e LDL. A castanha do Pará também possui um considerável teor do aminoácido arginina (100 g de sementes têm 2,148 g), que nosso corpo utiliza para a síntese do gás óxido nítrico, um potente vasodilatador, ajudando no tratamento da hipertensão.

 A castanha do Pará ajuda a combater o câncer: Os benefícios da castanha do Pará contra o câncer são decorrentes, sobretudo, dos efeitos do selênio em nosso organismo. Existe uma enzima do sistema de defesa antioxidante do nosso organismo chamada glutationa peroxidase, que precisa do selênio para desempenhar suas funções. Quando em excesso, os agentes oxidantes podem induzir mutações que promovem o surgimento de células cancerígenas. Além dessa ação preventiva, o selênio também parece ser eficaz no tratamento de alguns tumores. Um estudo, publicado na revista Cell Biologia and Toxicológico, mostrou que o mineral estimulou o processo de apoptose, ou morte celular programada, em células de câncer do colo do útero. Outra pesquisa publicada na Cancer Research, também revelou que o selênio ajudou a reduzir a proliferação de células cancerígenas da próstata.

A castanha do Pará ajuda a emagrecer: A incorporação de castanhas do Pará na dieta ajuda no processo de emagrecimento. Pode parecer contraditório, mas não é só o seu conteúdo de fibras e proteínas que promovem uma sensação de saciedade: as próprias gorduras insaturadas da semente também proporcionam este efeito, o que fará você consumir uma menor quantidade de alimentos. O selênio das castanhas também protege a glândula tireoide e previne o hipotireoidismo, um desequilíbrio hormonal que leva ao ganho de peso. A enzima diodense, que atua na transformação de tiroxina (T4) em triodotironina (T3), isto é, participa da síntese do hormônio ativo, é dependente de selênio. O T3 acelera o metabolismo como um todo, evitando também o sobrepeso.

A castanha do Pará promove o crescimento muscular: Para o crescimento e reparação do tecido muscular é fundamental a ingestão de alimentos que sejam fontes de proteínas. Levando-se em conta a quantidade diária de proteínas recomendada para um homem adulto (56 g), as sementes já ajudam a cumprir uma boa parte dessa meta (um copo de castanhas do Pará fornece cerca de 19 g de proteínas). As gorduras e o selênio das castanhas também são importantes para a síntese da testosterona, hormônio que promove o aumento da massa muscular.

A castanha do Pará é boa para os ossos: Os benefícios da castanha do Pará também refletem na saúde dos ossos. Os minerais magnésio e fósforo, encontrados em quantidades significativas nessas sementes, são importantes para o processo de construção óssea. O magnésio, por exemplo, é imprescindível para a fixação de cálcio nos ossos, bem como nos dentes.

A castanha do Pará ajuda a preservar o cérebro: Uma pesquisa feita pela Faculdade de Ciências Farmacêuticas da USP demonstrou que a ingestão diária de castanha do Pará ajuda a preservar o cérebro de danos oxidativos relacionados com a idade. No estudo, homens e mulheres idosos, 20 no total, que apresentavam deficiência de selênio e comprometimento cognitivo leve (CCL), foram divididos em 2 grupos: dos que comeram uma castanha diariamente e daqueles que não fizeram o consumo da mesma. Todos os participantes foram submetidos a uma análise neuropsicológica, antes e ao final do estudo. Após um período de 6 meses, os voluntários que consumiram as sementes, não apresentaram mais deficiência do mineral e também tiveram uma melhora da função cognitiva. Existe uma relação entre a quantidade de selênio no organismo e o estresse oxidativo, para os casos de CCL, uma condição que antecipa, por exemplo, a ocorrência do mal de Alzheimer. Ela relata que conforme envelhecemos, os neurônios passam a produzir mais radicais livres durante a síntese de energia e que nossas defesas antioxidantes também vão se tornando ineficientes.

A castanha do Pará é uma aliada do sistema digestório: Os benefícios da castanha do Pará para o sistema Digestório incluem um aperfeiçoamento da sua funcionalidade, facilita o peristaltismo que é a movimentação para empurrar os alimentos, e melhora de absorção de nutrientes, além de um efeito preventivo contra a constipação intestinal e até mesmo o câncer de cólon. As fibras da semente são as responsáveis por tais atividades.castanha-oleo

Atenção! Evite o consumo exagerado das sementes. Para adultos, recomenda-se uma ingestão diária de 55 microgramas de selênio, tendo como limite máximo o valor de 400 microgramas. Isto significa que a ingestão de apenas uma castanha por dia é o suficiente para suprir as necessidades do corpo humano. O excesso de selênio é toxico para o organismo, podendo causar fadiga, queda capilar, unhas quebradiças, erupções na pele, náuseas e vômitos. Alérgicos a nozes não podem consumi-las. As castanhas do Pará podem apresentar pequenas quantidades de rádio, um elemento radioativo, que é captado pelas extensas raízes da castanheira. Embora o teor de rádio das castanhas possa ser superior do que as concentrações do mesmo em outros alimentos, acredita-se que boa parte dele não seja absorvido pelo organismo. Devido às condições de umidade, secagem e armazenamento, as castanhas do Pará produzidas no Brasil estão sujeitas a uma contaminação por aflatoxinas, substâncias cancerígenas produzidas por alguns fungos do gênero Aspergillus. Enquanto no Brasil a quantidade máxima de aflatoxina permitida é de 10 partes por bilhão, na Europa tolera-se até 4 partes por bilhão (e dependendo do país e do tipo de aflatoxina o limite é ainda menor). Como resultado, a União Europeia restringiu a importação das sementes brasileiras. Estudos indicam que a aplicação de práticas que otimizem o processo produtivo, desde a redução do tempo armazenagem até o beneficiamento, diminuem a quantidade de aflatoxinas nas castanhas. A pesquisadora da Embrapa Daniela Bittencourt relata que pelo fato dos bolivianos terem investido mais na qualidade das castanhas, eles superaram nosso país nas exportações. Os benefícios da castanha do Pará são mais evidentes se você as consumir sem sal.

Seja o primeiro a comentar!

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo: