Scroll Top

Doenças e Tratamentos

17 Maneira de Evitar a Frieira do Corpo

Quando   tinha 18 anos, ele e o amigo quiseram viver uma aventura de inverno. Saíram a caminhar e a escalar montanhas na região desértica e inóspita do norte de Vermont. “Só queríamos ser montanhistas, mas acabamos sofrendo contratempos”, conta ele hoje, quase 20 anos depois.  na realidade, fez um curso de pós graduação em frieira.  Os dedos de seu pé direito ficaram esbranquiçados e duros. “Pareciam um bife congelado”, lembra-se, rindo. É claro que não riu na ocasião. Felizmente, encontraram um lugar para acampar e passar a noite; consegui livrar-se do pé congelado durante algum tempo. Mas para impedir a lesão ainda mais grave, ele tinha de ter certeza que o pé não congelaria novamente. Assim, enquanto mantinha o resto do corpo num quente saco de dormir, manteve o pé congelado fora do saco. Para isso teve de permanecer acordado a noite inteira. “No dia seguinte caminhei 13 quilômetros e estava bem”, conta. “Ainda tenho os dedos do pé. que, por ironia, é hoje especialista em segura e em atendimentos de emergência. Que se colocou desnecessária mente numa situação perigos. Mas formas menos intensas de lesão pelo frio podem ocorrer  bem depressa, em tempo muito frio, quando simplesmente se está brincando na neve ou até trocando um pneu. Damos aqui, portanto, o que é necessário fazer para combater e evitar esse tipo de acidente.

Conhecer os sinais. Entre as regiões mais atingidas pelo frio, causando o que se chama eritema pérnio, estão as bochechas, a ponta do nariz e as orelhas: numa primeira fase, tênue, o aspecto é de cor branquicento ( com adormecimento ou formigamento). A descamação e a formação de bolhas também é possível, depois do aquecimento da região. Essa descamação com formação de bolhas após o aquecimento é mais comum nos casos superficiais, embora já seja condição mas grave. Trata-se  uma lesão em que os tecidos do corpo se congelam, com lesão tissular. A pele também fica endurecida mas não ao ponto de perder a capacidade de recuperação. “O eritema pérnio é a forma que o organismo tem de tentar preservar o calor, obliterando a circulação para uma extremidade”. Infelizmente, ao você  desenvolvê-lo”, adverte, ” Talvez nem perceba o problema em virtude do adormecimento no local”.frieira

Esconder-se do vento. Claro. Procurar abrigo dos elementos em lugar aquecido, é uma boa idéia. Se for impossível, pelo menos saia do vento; o vento frio contribui de forma importante para a lesão.

Pensar antes de aquecer-se. Não usar o calor seco e radiante, como o de uma lâmpada quente ou do fogo, caso a pele pareça apresentar sinais do eritema pérnio. Nessa situação, a pele se queima com facilidade.

Proteger-se com o calor do próprio corpo. Se não tiver acesso a ambiente fechado, tire partido do calor do próprio corpo. Para aquecer os dedos e as mãos, coloque-os sobre as axilas. “Ao enrolar-se como se fosse uma bola, você está aumentando a eficiência energética do corpo”.

Não esfregue neve no local. ” Você só estará atritando a pele”.” Além disso , perde-se mais calor quando muito molhado”.

Não se molhe. A perda de calor é muito acelerada no contato com a água.

Luvas.”Use luvas com separação só para o polegar, são mais quentes, e use gorro que cubra as orelhas”.

Não beba. Você pensa que o álcool aquece. O álcool na realidade aumenta a perda de calor”.

Não fume. O fumo diminui a circulação periférica, tornando as extremidades mais vulneráveis.

Roupas. Convém usar frouxas, para proteger a circulação e não usar anéis nos dedos.

Não protele o aquecimento.”Você pode cair numa armadilha, dizendo que os pés ou as mãos estão bastante frios, mas que logo, logo vai chegar num lugar aquecido, sem problema”. Agora me certifico de que minhas mãos e meus pés estão ainda e de fato aquecidos.

Exame mútuo. Observe o rosto de seu amigo, sobretudo as orelhas, o nariz e as bochechas, procurando qualquer alteração de cor, pedindo que faça o mesmo com você.frieiras

Evitar contato com metais. Basta alguns momentos de contato com um pedaço de metal, a mão desguarnecida, e a lesão pelo frio poderá ser severa.

Ficar no veículo. Se você ficar encalhado no carro numa noite congelante, o melhor é permanecer dentro dele sem se aventurar pelo desconhecido. Você corre o risco de desenvolver hipotermia ou um declínio anormal de temperatura. “Muitas pessoas que ficaram encalhadas e tentaram caminhar para pedir ajuda, estão mortas”

Seja o primeiro a comentar!

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo: