Scroll Top

diabetes dicas Dicas de Saúde Frutas óleo natural omega 6 rugas

18 Benefícios do Ômega 6 para Pressão Alta

O ômega 6 é um conjunto de ácidos graxos essenciais e importantes para o organismo. O corpo não consegue sintetizá-lo, por isso, só pode ser obtido através de suplementação ou com os alimentos ricos em ômega 6. Os lipídios que formam o ômega 6 formam uma cadeia de hidrogênios ligados ao carbono e constituída de várias ligações. A presença do ácido linoleico ajuda na síntese de outros ácidos importantes para o organismo.
Os principais alimentos ricos em ômega 6 são os óleos vegetais, ovos e carnes. Indica-se a ingestão de cinco porções de ômega 6 para uma de ômega 3, porém esse valor dificilmente é respeitado, sobretudo em países como o Brasil e Estados Unidos com altos índices de obesidade e que o consumo de ômega 6 ultrapassa a quantidade de ômega 3 ingerida. O ômega 6 é um dos ácidos graxos essenciais e é fundamental para o bom funcionamento do corpo. Ele pode atuar como transmissor de mensagens, assegurando a vasomotricidade da circulação sanguínea, coagulação, inflamação e conjunto de plaquetas. Ajuda também no fortalecimento do sistema imunológico, melhorando a defesa do corpo, protegendo artérias do coração e agindo como anti-inflamatório, amenizando reações alérgicas e ajudando na cicatrização de feridas. Alguns estudos recentes indicaram que as crianças com transtorno de déficit de atenção e hiperatividade tinham níveis mais baixos de ômega 6 no organismo. Assim, aumentar o consumo de ômega 3 e ômega 6 pode reduzir os sintomas do transtorno de deficit de atenção. Outro estudo mostrou que as mulheres que ingeriram suplementos de ômega 6 juntamente com ômega 3 melhoraram a saúde óssea, prevenindo a osteoporose. Porém, o excesso de ômega 6 no organismo pode ser prejudicial à saúde, trazendo doenças do coração, doenças autoimunes, obesidade, artrite e diabetes.

Confira os alimentos ricos em ômega 6 para que ele possua ser obtido naturalmente pelo seu organismo.
Alimentos Ricos Em Manganêsomega-6

 Nozes: As nozes também são uma boa fonte de vitamina E, ômega 3 ácidos graxos, L-arginina um ácido semi-essencial amino que melhora a saúde do coração, o que reduz o seu mau colesterol LDL.

Vegetais de folhas verdes: Outra ótima fonte de manganês é incluir a abundância de vegetais verdes folhosos, como couve, couve e espinafre. Quase todos os vegetais orgânicos, integrais têm pelo menos pequenas quantidades de manganês, que é por isso que aqueles que comem uma dieta principalmente à base de plantas raramente têm uma deficiência.

 Feijão: O feijão é uma das culturas mais antigas que têm sido continuamente cultivadas por seres humanos. Eles são uma fonte importante de proteína e consistentemente alta em manganês.

Óleo de girassol: A maioria dos óleos vegetais são alimentos ricos em ômega 6. O óleo de girassol contém 10 gramas de ômega 6 por 1 colher de sopa. Este óleo ajuda a proteger as células do organismo por ser também rico em vitamina E, que é um poderoso antioxidante. Também podem ajudar na formação de hormônios, combater problemas degenerativos, melhorar a saúde do coração e controlar o colesterol no sangue. Por ter muitas calorias, deve ser consumido com moderação, sendo indicada a quantidade de 2 colheres de sopa às refeições depois de prontas, uma vez que, quando aquecido, passa por modificações moleculares que podem contribuir para o surgimento do câncer à longo prazo. Também tem importantes benefícios para a pele, mantendo-a mais hidratada e macia, bem como em cabelos, dando um aspecto mais sedoso.

Óleo de milho: O óleo de milho pode ajudar na manutenção das funções cerebrais, regular funções reprodutivas e fortalecer a saúde dos ossos. Também ajuda a diminuir o eczema e a acne da pele. Ajuda também a normalizar a pressão arterial, controlar o colesterol ruim e aumentar o bom, reduzindo os riscos de acidente vascular.
Por ser rico em fitoesteroides, também contribui para o controle do colesterol, juntamente com o ômega 6, ajudando a combater doenças coronárias e também o câncer. A presença dos tocoferóis tem ações antioxidantes e estimula o funcionamento do sistema imunológico. Protege as células dos efeitos nocivos dos radicais livres, promovendo a renovação celular e inibindo o crescimento da catarata nos olhos. O óleo de milho tem 8,8 gramas de ômega 6 em uma colher de sopa.

Óleo de soja: Este óleo ajuda a proteger o sistema cardiovascular pelo seu alto teor de ácidos graxos, ajuda a melhorar o sistema nervoso devido ao ômega 6 e presença de fosfolipídios, reduz o colesterol ruim, reduz os sintomas da menopausa em mulheres, devido à presença de isoflavonas, protege membranas das células e do organismo devido às vitaminas A e E encontradas, e é facilmente digerido. O óleo de soja possui 7,7 g de ômega 6 em uma colher de sopa.

Óleo de abacate: O óleo de abacate traz inúmeros benefícios para a saúde, pois ajuda a controlar os níveis de cortisol, que é o hormônio relacionado ao aumento da compulsão alimentar, e portanto ajuda a inibir o apetite. Também reduz o colesterol ruim, mantendo o coração em dia através da prevenção de doenças cardiovasculares.
Mantém também a diabetes sob controle, controlando os níveis de açúcar no sangue e, além disso, protege o organismo da aterosclerose e envelhecimento precoce. Aumenta a defesa do corpo, prevenindo gripes e outras infecções, mantém os olhos saudáveis pela presença de vitaminas e protege a próstata, protegendo o corpo do desequilíbrio hormonal. O óleo de abacate apresenta 4,4 gramas de ômega 6 em uma colher de sopa.

 Óleo de canola: O óleo de canola é pobre em nutrientes essenciais, apesar de ser um dos alimentos ricos em ômega 6. Contudo, contém um pouco das vitaminas lipossolúveis E e K em sua composição, além de cerca de 7% de gorduras saturadas, 63% de gorduras monoinsaturadas e 28% de gorduras poli-insaturadas (aproximadamente 18% de ômega-6 e 10% de ômega-3). Vários estudos concluíram que óleo de canola reduz os níveis de colesterol total, colesterol ruim e triglicéridos em até 25%, sem ter muito efeito sobre os níveis de colesterol bom. O óleo de canola contém 3 gramas de ômega 6 em 1 colher de sopa. Deve ser consumido com parcimônia e evitar aquecê-lo, pois pode gerar reações que podem causar malefícios à saúde.

 Óleo de semente de linhaça: A linhaça dourada possui quantidade maior de ácidos graxos do que a marrom e, por isso, é a mais indicada para consumo. Esse óleo é rico em vitamina E, que previne doenças degenerativas e combate o envelhecimento precoce. Tem componentes antioxidantes e anticancerígenos e combate o colesterol ruim.
Rico em fibras, também pode melhorar a saúde intestinal desintoxicando o organismo e pode atenuar sintomas da TPM e menopausa em mulheres pela presença de isoflavonas, lignana e fitoesteroides. Óleo de semente de linhaça contém 2,1 gramas de ômega 6 em uma colher de sopa. Pode ser consumido no formato de óleo, farinha de linhaça ou a própria semente.

 Óleo de prímula: Esse óleo tem o poder de aliviar inflamações e fortalecer a defesa do corpo, combatendo problemas de artrite reumatoide. Ajuda o sangue a circular livremente no organismo reduzindo a pressão arterial e diminuindo o colesterol. Algumas pesquisas têm indicado que esse óleo pode reduzir as chances de obter câncer de mama. A gordura proporciona mais energia e auxilia no funcionamento do cérebro, músculos, medula óssea e membranas das células. Também é usado no tratamento de pele combatendo danos e doenças de pele, além de retardar o envelhecimento, reduzindo as rugas. Também melhora os sintomas da TPM. O óleo de prímula contém 1,4 gramas de ômega 6 em uma colher de sopa.

Óleo de azeite de oliva: O azeite de oliva contém 1,2 gramas de ômega 6 em uma colher de sopa. O óleo de groselha, cânhamo, borragem, sementes de uva, gergelim, nozes, castanha e óleo de gérmen de trigo também podem conter teores de ômega 6. Opte por aquele que mais agradar ao seu paladar e que possa ser usado aquecido sem sofrer alterações das propriedades.

Nozes: As nozes são os primeiros alimentos ricos em ômega 6 da lista fora os óleos vegetais. Possuem propriedades que auxiliam na manutenção do sistema imunológico, formação de glóbulos vermelhos, cicatrização, fortalecimento dos ossos e dentes, combate envelhecimento das células e também pode melhorar a saúde do coração quando consumidas com parcimônia. Possuem propriedades anti-inflamatórias e ajudam na prevenção do câncer devido à presença de vitaminas E, C e o selênio. Também ajudam a melhorar a saúde do pulmão, reduzindo toxinas. Mantêm o cérebro saudável e em pleno funcionamento, bem como ajudam na produção de glóbulos vermelhos. As nozes contêm 9 gramas de ômega 6 em 1/4 de xícara de chá. Consuma com cereais e frutas ou batidos com leite. Também pode integrar saladas, risotos, massas e molhos.

Sementes de Cânhamo: Essas sementes são extremamente saudáveis. Além de serem alimentos ricos em ômega 6, são também em proteínas, fornecendo aminoácidos essenciais que o corpo humano não consegue produzir. Ajudam no transporte de hormônios e aumentam os anticorpos do sangue. Fornecem vitalidade e mais energia no dia a dia, ajudam a reduzir sintomas da TPM e menopausa, melhoram os processos digestivos, combatem insônia, ansiedade, dor de cabeça, depressão e hipotireoidismo. O ácido linoleico contribui para a redução de problemas cardiovasculares, aumenta o HDL, ajuda na prevenção do cancro da mama, dentre outros benefícios. As sementes de cânhamo também são ricas em antioxidantes, minerais, entre os quais fósforo, cálcio e ferro, vitaminas A, C, D, E e fibras. São compostas por 35% de ácidos graxos, compostos por 55% ácido linoleico e 25% alfa-linoleico. Contêm 7 gramas de ômega 6 em uma colher de sopa.

Castanha do pará: Em duas unidades de castanhas podem ser encontradas aproximadamente 11 g de gorduras, das quais 68% são as poli e monoinsaturadas. O ômega 6 ajuda a diminuir o colesterol ruim e a aumentar o bom. A grande quantidade de fibras também ajuda a melhorar o funcionamento do intestino. Possuem também quantidades importantes de magnésio, que proporciona mais energia para o corpo, fósforo, que melhora a contração muscular e a transmissão de impulsos nervosos, zinco, que melhora o sistema de defesa do corpo, e a vitamina B1, que fornece mais energia ao organismo. A presença de selênio e vitamina E combate diversas doenças devido à prevenção do envelhecimento precoce. Há 6 gramas de ômega 6 em uma colher de sopa de castanhas do pará. Podem ser consumidas nos intervalos entre as refeições, junto de pratos principais, picados em saladas, com frutas, etc. Porém, por serem calóricas, devem ser consumidas com parcimônia.

Sementes de gergelim: O gergelim é um alimento que pode ser encontrado em diferentes pães. Trata-se de um grão que traz vários benefícios para a saúde, como a melhora do funcionamento do intestino, auxílio no tratamento de hemorroidas devido à melhora da circulação sanguínea da parede do intestino, melhora a saúde dos ossos por causa da presença de cálcio e minerais, controla a obesidade, combate a diabetes devido ao alto teor de fibras, regulação dos níveis de colesterol no organismo, melhora da digestão e promove sensação de saciedade, contribuindo para o emagrecimento. Contém 5,3 gramas de ômega 6, em uma colher de sopa. Deve ser consumido com cuidado, pois pode ser calórico quando consumido em grandes quantidades. Sabe-se que uma colher de sopa contém 84 calorias.

Sementes de abóbora: As sementes de abóbora são alimentos ricos em ômega 6 fontes de proteína, zinco, magnésio, ferro e fósforo. O magnésio é importante, pois relaxa os músculos, controla o nível de açúcar no sangue e diminui a pressão sanguínea. A presença do potássio ajuda na luta contra a hipertensão e reduz as chances de pedra nos rins. O zinco ajuda a combater uma série de doenças no organismo. Podem melhorar a saúde da próstata nos homens, combater sintomas de depressão e melhorar o sono devido à presença do triptofano. Por serem antioxidantes, também ajudam na renovação celular, bem como no combate o colesterol ruim, justamente por serem alimentos ricos em ômega 6. Sabe-se que uma colher de sopa da semente contêm 4,8 gramas de ômega 6. Podem ser ingeridas inteiras ou torradas em saladas, com frutas, em sopas ou cereais.

Manteiga de amendoim: Por ser rica em calorias, a manteiga de amendoim é fonte de energia, assim como é rica em ômega 6, vitamina B3, triptofano e manganês. Ajuda a reduzir as chances de doenças do coração e contém fibras que reduzem o colesterol LDL e é um excelente antioxidante. A presença do ferro atua na melhora da circulação do sangue e as proteínas e fibras presentes ajudam a controlar o açúcar no sangue. A presença de resveratrol combate o aparecimento de rugas e pode ajudar na prevenção de câncer e doenças cardíacas. As fibras ajudam a reduzir o câncer de cólon por melhorar o funcionamento digestivo. Sabe-se que 1/4 de copo de manteiga de amendoim contém 3,5 gramas de ômega 6.6-omega

 Peixes: Os peixes, de uma forma geral, são muito saudáveis para a saúde do corpo como um todo, por isso são constantemente indicados para consumo pelo menos 2 a 3 vezes por semana. São também menos calóricos, sendo aliados do emagrecimento. Os peixes podem melhorar a memória, aumentar a concentração, prevenir doenças do coração e aumentar reações anti-inflamatórias. Além disso, seu consumo é essencial para a formação de cabelos e unhas, previne a osteoporose devido à presença de cálcio e vitamina D e combate a anemia por ser rica em ferro e vitamina B12. Todos os tipos de peixe contêm menos de 1 grama de ômega 6 por filé, mas mesmo assim, podem ser um reforço na sua dieta para aumentar a quantidade de gorduras saudáveis. Prefira preparar cozido, assado, grelhado ou ensopado para evitar mais calorias.

Seja o primeiro a comentar!

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo: