Scroll Top

Doenças e Tratamentos

18 Maneira Como Trata as Dores dos Pés

Dificilmente alguém cuida dos pés com o mesmo desvelo com que cuida de um bichinho de estimação –seu cão, por exemplo. Poucas pessoas, alias, chegam a dar aos pés um mínimo tratamento: muitos limitam-se a lavá-los e a cortar-lhes as unhas, de vez em quando. O resto do tempo, limitam-se a usá-los como se não houvesse amanhã. Assim, o que se pode fazer quando, ao fim de um dia de trabalho duro, eles pedem socorro? Não dá para jogá-los fora e buscar um par novo. Os nossos pés ficarão conosco o resto da vida. E se você espera que eles dizem tanto quanto você, convém sentar e ouvir os conselhos dos especialistas.

Elevação. O melhor a fazer quando se chega em casa depois do trabalho é sentar, elevar os pés, e exercitar os artelhos para melhorar a circulação, portanto, eleve os pés num ângulo de 45 graus em relação ao corpo e relaxe durante 20 minutos.

Banho. Para revitalizar os pés, mergulhá-los na água morna com 1 ou 2 colheres (de sopa ) de sais de Epson. Enxaguar com água limpa, secar sem esfregar, e massagear com algum creme umidificante.

Compressas frias e quentes alternadamente. Um tratamento popular mantenha os pés sob água corrente durante alguns minutos (alterne 1 minuto de água quente com 1 de água fria, e por último a fria). O Calor e o frio  alterados revitalizarão todo o sistema. Se tiver chuveirinho, use-o para massageá-los. Como sempre se tiver diabete ou má circulação, não os exponha a extremos de temperatura.dores no pé

A essência do relaxamento. Uma variante dessa técnica é recomendada de Connecticut : mergulhe os pés 5 minutos numa bacia rasa de água quente, com 6 gotas de óleo de eucalipto e 6 de óleo de alecrim. Fique pontilhando na água para que a essência de eucalipto facilite o relaxamento. Esvaziando a bacia, derrame um pouco de água fria nos pés. A seguir, torne a derramar sobre eles água quente e em seguida água fria. Para uma experiência completamente diferente, use 6 gotas de óleo de zimbro e óleo de limão no banho inicial. ( Encontráveis em lojas de produtos naturais.)

Chá em infusão. Se você não tiver óleos especiais ou essências, faça uma forte infusão com chá de hortelã-pimenta ou camomila. Coloque quatro saquinhos de chá em 2 xícaras de água fervente. Adicione em 4 litros de água  quente. Mergulhe os pés e prossiga, depois de chapinhar, enxaguando-os como água quente e fria.

Massagem. “Uma boa pedida é massagear os pés com óleo de bebê”. Se não tiver um companheiro ou uma companheira disposta a ajudá-los faça por conta própria. Antes ou durante o banho em bacia, massageie-os. Trabalhe todo  os pé, comprimindo os artelhos com delicadeza e massageando a região em movimento circular. Um movimento realmente eficaz é deslizar o polegar com força no arco do pé.

Compressas de gelo. Outra medida refrescante para pés cansados é cobri-los com gelo envolto em toalha ou pano. Esfregue-os sobre os pés e tornozelos durante alguns minutos. O gelo afasta qualquer processo inflamatório e serve como anestésico leve. Enxugue-os e esfregue-os com colônia, álcool ou vinagre, para secar e refrescar.

Exercícios. Não nos referimos aqui á ginástica aeróbica ou a qualquer outra atividade física semelhante. Mas muitos médicos recomendam que se exercite os  músculos dos pés e das pernas durante o dia inteiro, para aliviar as dores e manter a circulação em funcionamento. Se os pés estiverem cansados e tensos, ou assim se mostrem em qualquer hora do dia, dê-lhes uma boa sacudida, como faria se suas mãos estivessem dormentes. Faça a manobra num pé de cada vez, relaxe e flexione os artelhos para cima e para baixo. Para quem fica muito tempo em pé, a recomendação é caminhar no mesmo lugar. Mude sempre que possível de postura e procure repousar um dos pés num banquinho ou num degrau, ocasionalmente. Se possível, fique em pé sobre carpete macio ou superfície de borracha esponjosa. Para aliviar a rigidez, tire  os sapatos, sente-se numa cadeira, e estire os pés para a frente. Faça um movimento de rotação tendo por eixo os tornozelos, dez vezes numa direção e dez vezes na outra. Aponte os artelhos para baixo o mais que puder, e flexione-os para cima da mesma maneira. Repita  isso dez vezes. Agora segure os pés, com delicadeza tracione-os para a frente e para trás, em movimento de vaivém. Para massagem, tire os sapatos e role o pé sobre uma bolinha de tênis, durante 1 ou 2 minutos. Espalhe no chão alguns lápis e pegue-os com os artelhos. Coloque um punhado de feijão cru dentro de um par de sapatos tipo mocassim, espalhe-os bem e caminhe com eles pela sala; o efeito é de massagem na sola dos pés.

A sola dos sapatos. Experimente usar sapatos de sola grossa que absorvem os impactos, para proteger os pés de superfícies irregulares ou duras. Não espere pelo desgaste natural das solas: não mais terão o mesmo efeito. Os calçados femininos de sola fina e salto alto são os vilões clássicos. Para trabalhar, use sapatos ou tênis confortáveis, ao ir e vir do trabalho. Sapatos de salto, só no escritório.

Mudar a altura dos saltos. O salto  alto prejudica os músculos das panturrilhas, leva á fadiga dos pés. Assim, a passagem do alto para o baixo, no decorrer do dia, é uma excelente idéia.

Palmilha. Os saltos altos têm ainda a desvantagem de fazer com que o pé deslize para a frente  ao caminhar, sobrecarregando a região anterior do pé. Para prevenir esse desconforto, use uma meia-palmilha, que ajuda a manter a posição. Quando for comprar sapatos novos, leve as palmilhas com você e experimente o novo calçado com elas.

Alargar os sapatos. Com a palmilha já usada, cuide para que os dedos não sejam comprimidos. Se o sapato ficar apertado, alargue-o para a palmilha. Encha uma meia com areia, introduza-a na parte anterior do sapato e embrulhe-o numa toalha molhada. Deixe-o secar durante 24 horas.dor no pé

Quando procurar o médico

Devemos procurar o médico quando: sentimos dor que aumenta no decorrer do dia. Quando não conseguimos mais mantê-los dentro dos sapatos. Quando temos dificuldade de caminhar logo cedo, nos dois ou três primeiros passos do dia.

Cumpre advertir também que a queimação dolorosa dos pés pode significar problema circulatório, pé de atleta, pinçamento de algum nervo, diabete, anemia, doença da tiróide, alcoolismo e outros problemas.

Seja o primeiro a comentar!

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo: