Scroll Top

dicas Dicas de Saúde vinho

45 Benefícios do Vinho para Mal Alzheimer

Você já ouviu falar em resveratrol? É uma substância com propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias encontrada na casca e nas sementes das uvas vermelhas. Se você se preocupa com os efeitos da idade, saiba que estudos comprovaram que o resveratrol atua em um conjunto de genes associados ao envelhecimento, retardando o processo em tecidos como o cerebral, o muscular e o cardíaco. O resveratrol pode ser encontrado em bons vinhos e em sucos de uva orgânicos.

O que é resveratrol? Resveratrol é um potente polifenol encontrado na casca das uvas, especialmente das tintas (vermelhas)e faz parte do sistema imunológico da fruta. Quando o vinho tinto é produzido, as cascas ficam em contato com o sumo das uvas, concentrando o polifenol.

Quais são os benefícios? Os principais são a redução do LDL, conhecido como “mau colesterol” e o aumento do HDL, o “bom” sendo assim ocorre a diminuição de riscos de acidentes cardiovasculares e derrames cerebrais. Outros benefícios potenciais permanecem em estudo, como a diminuição do risco de alguns tipos de câncer, como o de pulmão, de pele e de próstata.vinho

Há comprovação e estudos? Tudo começou  epidemiologista francês que pesquisou e comparou as taxas de acidente cardiovasculares de diversos países com diferentes tipos de alimentação.Enquanto as menores taxas estão nos países do Oriente, com baixo consumo de carne animal, logo em seguida vem a França, com uma alimentação rica em gordura, como a manteiga e o azeite. Foi  comprovada que esta baixa taxa se devia ao vinho, consumido diariamente por boa parte da população. Isto ficou conhecido como o “Paradoxo Francês”. Hoje existe uma rede de pesquisadores médicos, atuando na Europa, na América do Norte e no Brasil visando estabelecer a abrangência dos benefícios do consumo regular de vinho na saúde humana.

Uva e sucos de uva também têm propriedades benéficas? Uvas tintas e suco de uvas tintas também contêm o resveratrol, mas ainda não se sabe se o álcool, que só existe no vinho, potencializa a ação benéfica do resveratrol nos seres humanos.

Qual a quantidade de vinho indicada para consumo diário? Um consumo aproximado de 250 mililitros (um terço de uma garrafa normal) diário para os homens e de 200 mililitros para as mulheres. Para se beneficiar do resveratrol, cerca de 150 mililitros diários são suficientes, consumidos com regularidade. Sempre é bom consultar seu médico para estabelecer se você pode beber vinho e qual a melhor quantidade para sua condição física.

Existem outros benefícios do consumo de vinho? Ainda está sendo estudada a extensão dos benefícios do vinho, mas já sabemos que seu consumo, junto a uma dieta nutricional sadia e equilibrada, aumenta a expectativa de vida e sua qualidade. Só para exemplificar, os habitantes da Ilha de Creta (dieta mediterrânica e consumo regular de vinhos), têm 98% menos de chance de morrer de um ataque cardíaco que um norte americano.

Quais são boas opções de vinho? Aqui no Brasil podemos escolher vinhos do mundo inteiro. Os brasileiros, argentinos e chilenos têm boa relação custo/benefício. Na Europa os países mais tradicionais na produção dos vinhos são: França, Itália, Espanha e Portugal. Há, portanto, possibilidade de escolhermos bons vinhos em todas as faixas de preço, lembrando que os tintos são mais recomendados para a saúde, mas os brancos também são ótimos companheiros de mesa.

Com quais alimentos podemos combinar vinhos? A harmonia dos vinhos pode ser simplificada em: vinhos brancos para peixes e frutos do mar, vinhos tintos para carnes. Vinhos mais leves para pratos mais ligeiros, vinhos mais encorpados para pratos mais potentes. Com o tempo você vai vendo as combinações entre vinho e alimento, não só as clássicas como aquela que o seu paladar mais aprecia

Para a saúde o vinho bom é o tinto ou o branco? Tanto faz! Mas o vinho tinto tem mais resveratrol, que é o que você quer quanto precisa do vinho por questão de saúde. O resveratrol elimina as plaquetas que provocam coágulos e entopem as artérias. A concentração média de resveratrol nos vinhos franceses é de 5,06 mg/ml. Nos brasileiros, é de 2,57 mg/ml. Mas não tem nada a ver com a qualidade do vinho e sim com as condições climáticas de onde é cultivada a uva. É ainda na parreira que a uva adquire o resveratrol. A substância é produzida sempre que a fruta é ameaçada por pragas e fungos, situação comum em épocas de chuva. O resveratrol é uma espécie de auto-proteção dos cachos. Não se pode associar qualidade de vinho à concentração de resveratrol.

E os flavonoides, fazem bem? Os flavonoides são antioxidantes, inibem a formação dos radicais livres, que provocam o envelhecimento das células e, por conseqüência, deixam o organismo mais vulnerável a doenças. São um componente natural, já nascem com a uva – faça chuva ou faça sol. E o melhor: em vinhos finos ou no vinho popular, a dose de saúde não muda. A concentração é parecida, não tem nada a ver com a qualidade do vinho.

ESTIMULANTE E DIGESTIVO Os vinhos tintos possuem substâncias como o tanino, que lhes conferem propriedades e um certo poder laxativo. Na Bíblia, o apóstolo Paulo já dizia a São Timóteo: “Não bebas somente água. Toma um pouco de vinho, por causa do teu estômago e das tuas frequentes enfermidades”. Está vendo? Sabedoria mais que milenar.

TRANQUILIZANTE Médica da Universidade da Califórnia, costuma dizer que o vinho é muito mais valioso como auxiliar de terapia do que qualquer cápsula engolida às pressas. E não deixa de recomendar um ou dois cálices às refeições Os médicos do Hospital Geral de Valejo, na Califórnia, observaram que os pacientes que bebiam vinho tornavam-se mais calmos, mais receptivos, mais cordatos e mais confiantes no sucesso do tratamento. Apreciavam mais as comidas, dormiam melhor e eram mais responsáveis que os demais.

EMAGRECEDOR Por ser um calmante para os nervos, o vinho é útil também para os que estão fazendo regime de emagrecimento. Um médico de Nova York descobriu que um copo de vinho de mesa, seco, tomado meia hora antes das refeições ou durante a principal refeição do dia, ajuda os obesos a perderem peso. Os efeitos tranquilizantes também reduzem as tensões emocionais que impelem as pessoas obesas a comerem demais.

ETERNA JUVENTUDE O economista, que recentemente completou 100 anos de idade, bebe diariamente dois copos de vinho. Na antiguidade, o vinho já era conhecido como o “leite dos velhos”. O vinho, como se sabe, cai bem nos nervos. No Hospital Luterano de Nova York, um  costuma receitar vinho para senhoras idosas que se recusam a tomar remédios, mas que adoram a ideia de beber um copo de vinho no jantar, e com isso sentem-se menos nervosas.

ALIMENTO, POR QUE NÃO? Embora em pequenas quantidades, os vinhos contêm vitaminas de várias espécies. Os açúcares encontram-se, sobretudo, nos vinhos doces, que, por isso mesmo, possuem grande valor alimentar. No vinho encontram-se a vitamina A, anti-infecciosa, a vitamina B, antinefrítica e a vitamina C, antiescorbútica importante para a formação do sangue e da medula óssea.

COM OU SEM ETIQUETA, O MESMO SABOR Para um verdadeiro apreciador de vinhos não há regras nem etiquetas. Os bons degustadores sabem que o vinho deve ser bebido conforme o gosto de cada um, a qualquer hora, com qualquer temperatura, com ou sem taça. Mas se você faz questão da etiqueta, leia o que dizem alguns especialistas.

A ”Enciclopédia Portuguesa e Brasileira resume a forma de servir vinhos, de acordo com os pratos, da seguinte maneira:

  • Aperitivos: vinhos generosos e licores bem secos ou vermutes.
  • Com doces, passas e tira gostos: vinhos de mesa brancos ou espumantes.
  • Com peixes e mariscos (cozidos, com molhos brancos ou de manteiga): vinhos doces de mesa.
  • Peixes gratinados e assados: vinhos de mesa brancos.
  • Peixes guisados ou de caldeirada: vinhos de mesa tintos.
  • Entradas: vinhos de mesa, palhetes ou tintos.
  • Assados e caças: tintos, de preferência velhos, ou espumantes naturais, brutos ou secos.
  • Frutas: vinhos generosos ou licorosos (meio doces ou secos) e espumantes naturais.
  • Queijo: vinhos generosos e licorosos. Vinhos de mesa tintos, velhos se o queijo for servido antes dos doces e das

frutas.

Qual a quantidade de vinho é bom para a saúde? Sem esquecer que o abuso tem efeitos nocivos sobre o organismo, é bom lembrar a moderação ao beber vinho. Um litro diário é suficiente para quem desempenha tarefas pesadas. Três quartos de litro é a quantidade ideal para um operário desde que, evidentemente, ele tenha poder aquisitivo para tal. Meio litro é o suficiente para o trabalhador sedentário. O mesmo vale para as mulheres.

TEMPERATURAS IDEAIS A ”Enciclopédia” diz ainda que o vinho, segundo seu tipo, tem uma temperatura certa para ser servido, que lhe permite desprender, de maneira ideal, as nuances de sabor, de perfume e de corpo: o buquê. Assim, os vinhos brancos e os espumantes devem ser servidos bem frios, mas nunca gelados. Já os tintos requerem, de preferência, temperatura ambiente. Os tintos envelhecidos (generosos e licorosos) devem ser servidos com temperatura de 18 a 20 graus; os demais tintos, 15 a 18 graus. Os brancos envelhecidos, de 11 a 14 graus; os brancos novos, de 10 a 12 graus e os espumantes, de 7 a 9 graus. Essas temperaturas podem variar de acordo com a literatura consultada, mas as variações são bem pequenas. Para saber mais sobre a temperatura correta para servir um vinho, você pode consultar a nossa postagem sobre.

Vinho, saúde e a longevidade Fique atendo para essas dicas. O Vem da Uva não apoia a automedicação, utilize as informações com sabedoria e sempre consulte um médico para saber mais sobre a sua saúde e indicação de consumo de vinho ou medicamentos.

Trombose um dos benefícios do vinho é sua ação anticoagulante ajudando muito a prevenir tromboses.

Úlcera estudo americano sugere que consumo de vinho protege contra a úlcera não havendo contra indicação, apenas para casos de hepatite e cirrose.

Hipertensão: Estudo inédito feito pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) com ratos hipertensos mostrou que aqueles que receberam um extrato de vinho (sem álcool e água) tiveram queda na pressão arterial de até 30%. experimento foi feito com

Mal de Alzheimer: Além de benéfico para doenças cardíacas, cânceres e úlceras, o vinho protege contra o Mal de Alzheimer. Segundo especialista, o consumo diário, moderado, da bebida reduz em 75% a chance de desenvolver a doença.

Problemas cardiovasculares Redução de até 50% (estudo do Hospital Corporativo de Epidemiologias da Dinamarca). Contribui na diminuição do mau colesterol e aumenta o colesterol saudável, torna o sangue mais fino, é anticoagulante e antioxidante. Aumenta a formação de óxido nítrico, importante para a dilatação dos vasos coronarianos.

Câncer Pesquisas confirmam que o vinho reduz em 24% o risco de câncer.

Tumores Malignos Beber vinho em doses moderadas continua sendo um bom remédio. Estudo publicado na edição atual do Journal of Trombosais and Haemostasis mostra que, entre as pessoas que costumam ingerir álcool, aquelas que bebem exclusivamente vinho têm menos chances de desenvolver determinados problemas de saúde do que as que tomam cerveja ou uísque, por exemplo. Segundo os pesquisadores, a principal proteção da bebida seria no sistema cardíaco. Além disso, como alguns antioxidantes típicos das frutas também aparecem na bebida, tumores malignos também seriam menos freqüentes nos apreciadores da bebida à base de uva.

Gripes e resfriados O vinho aumenta a imunidade contra gripes e resfriados.

Pedras nos rins Diminui a ocorrência de pedras nos rins.

Diabetes Auxilia a prevenir o diabetes.

Catarata Um dos maiores problemas de pessoas com mais de 65 anos é a catarata. Pesquisas comprovam que a ingestão de vinho, diariamente, reduz em até 34% os riscos de adquirir a doença.

Vinho na pele Ainda em estudos o efeito do vinho na pele para rejuvenescimento talvez seja benéfico. No uso dermatológico, a uva mais indicada é a isabel. É a que apresenta maior concentração de resveratrol e flavonoides, para a fabricação de cremes que atuam diretamente sobre a pele. Os polifenóis são dez mil vezes mais eficazes que a vitamina E e que a vitamina C tópica. A uva e o vinho também são usados em tratamentos holísticos e estéticos, tais como massagem relaxante, drenagem linfática, máscaras faciais e aromaterapias.

Suco de uva É benéfico para a saúde, inclusive os vendidos em caixinha. Não precisa ser um suco especial.

Controle de Peso Uma taça de vinho tem em média 80 calorias e no caso de controle de peso deve-se fazer algum tipo de ajuste para incluir o vinho.

Excesso de vinho Afeta negativamente o fígado e as enzimas epáticas aumentam sensivelmente, além da violência e da criminalidade pelo alcoolismo.

Arritimia cardíaca Tomar vinho diariamente não beneficia a arritimia cardíaca além de que para alguns tipos de arritimia o álcool é proibido.

Medicamentos controlados Tomar vinho e certos medicamentos pode causar interações, cuidado. Pergunte ao seu médico.

Vinho tinto seco x suave A diferença é a concentração de açúcar.

Casca da uva O maior benefício do vinho vem da casca e comer a casca é só uma questão de hábito e gosto. Deve ser bem lavada para evitar problemas com agrotóxicos.

Propriedades benéficas do vinho Após aberto, o vinho mantém suas propriedades podendo perder apenas em aroma e em quantidade de álcool. Por via das dúvidas, bom mesmo é consumir o vinho até 48 horas depois de aberto, saiba mais.

Alto índice de triglicerídios Neste caso o vinho não traz benefícios devido às calorias existentes, aumentando os triglicerídios.

Massa muscular Em excesso qualquer bebida alcoólica pode atrasar o desenvolvimento de massa muscular ou até haver diminuição desta mesma massa muscular.

Diabetes tipo 2 É possível consumir vinho ou suco de uva se através de medições constantes o usuário mantiver a diabetes controlada.

Alimentos com propriedades semelhantes

  • Maça, cebola, chás, frutas e vegetais em geral.
  • Ácido Úrico
  • Toda bebida aumenta o ácido úrico inclusive o vinho
  • Reposição Hormonal
  • Não se sabe através de algum estudo se o vinho interfere sobre reposição hormonal.

Idade do vinho Não é a qualidade ou a idade do vinho que trás benefícios à saúde mas as propriedades contidas na casca da uva.

REFORÇO PARA OLHOS A idade traz, entre tantos problemas, a dificuldade de enxergar. Para quem bebe vinho, de acordo com o Departamento de Oftalmologia da Universidade de Udine, o consumo moderado de vinho retarda os efeitos da idade na visão.

AUMENTO DO DESEJO SEXUAL aumento-do-desejo-sexual Pesquisa do “The Journal of Sexual Medicine” feita com mulheres relatou o aumento do nível de desejo e da satisfação sexual por aqueles que consumem vinho. A causa é o aumento do fluxo sanguíneo na região do órgão sexual, provocada pelos componentes do vinho. Já para os homens, o efeito é o contrário. A dilatação dos vasos facilita o tráfego do sangue, o que vai gerar uma ereção mais frágil. Ou seja, para que ambos aproveitem os benefícios do vinho, a dica é consumir moderadamente.vinho-vinho

REDUÇÃO DE INFECÇÕES E DOENÇAS
redução-de-infecções-doenças. A taça diária da bebida reduz em 11% a chance de você se infectar por bactérias causadoras de doenças, segundo dados da Sociedade Europeia de Cardiologia. Além disso, diminui o risco de úlceras e gastrites, sem falar que o vinho não afeta o sistema que já está imune.

LIMPEZA DE VEIAS E ARTÉRIAS limpeza-de-veias-e-artérias. Um componente do vinho chamado resveratrol, um antioxidante, é o responsável por varrer as gorduras acumuladas nas veias e diminuir os níveis de colesterol. Essa combinação ajuda a reduzir as chances de desenvolver diabetes e doenças do coração, pois o resveratrol reprime níveis altos de açúcar no sangue e reduz a pressão arterial. Mas para obter tais resultados, o consumo da bebida deve se limitar a duas taças por dia.

Seja o primeiro a comentar!

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo: