Scroll Top

Dicas de Saúde

9 Maneiras de Controla Intoxicação Alimentar

Você foi fazer um fantástico passeio e teve um almoço variadíssimo, de salada a galinha no espeto, de frutos do mar a uma exuberante torta de creme. Algumas horas depois, contudo, você sente como se tivesse sido fulminado por um raio no estômago. Sente-se tonto e enjoado. Vomita. Está com diarréia. E passa literalmente sentado o resto do dia. O que aconteceu? É bem possível que o que você comeu estivesse premiado com bactérias tóxicas de um tipo ou de outro, causando o que se costuma chamar intoxicação alimentar. Talvez a salada  batata tenha sido preparada por mãos sujas, que transferiram estafilococos o alimento. Ou a galinha não tenha sido devidamente cozida para matar a salmonela que a contaminava. E se a torta de creme ficou exposta ao sol? Um excelente prato de cultura para a multiplicação de bactérias. Em qualquer caso, depois de instaladas em você, as bactérias atacam o intestino e durante dois dias  você se sente péssimo, á medida em que o organismo combate a infecção. Vejamos o que dizem nossos consultores sobre o que você pode fazer para ajudar o corpo nessa luta.

Algumas pessoas precisam de atendimento especial

Nos casos corriqueiros de intoxicação alimentar, os sintomas, cólicas, náuseas, vômito, diarreia, tonteira, desaparecerão em um ou dois dias. Para os muitos jovens, os mais idosos, ou para quem sofre de doença crônica ou distúrbio imunológico, a intoxicação alimentar pode ser muito grave. Essas pessoas devem entrar em contato com médico aos primeiros socorros sinais do problema. Mesmo que você não pertença a essa categoria, chame imediatamente um médico se os sitomas acompanharem: Dificuldade de deglutição, de fala ou respiratória; alteração da visão, fraqueza muscular ou paralisia muscular, sobretudo se ocorrer depois de comer algum tipo de cogumelo (champignon), algum alimento enlatado ou frutos do mar. Febre acima de 38ºC. Vômito muito intenso, impedindo-lhe de reter líquidos. Diarréia  muito intensa durante mais de um ou dois dias. Dor abdominal persistente, localizada. Desidratação, sede intensa, secura na boca, redução da micção, e quando se pinça o dorso da mão e solta, a pele continua pinçada. Diarréia sanguinolenta.intoxicação

Para prevenir casos futuros

Nem sempre você poderá culpar refeições e lanches fora de casa. A verdade é que muitos casos de intoxicação alimentar ocorrem por descuido no próprio ambiente doméstico. Segundo o bom-senso e algumas normas indicadas abaixo, você estará em condições de evitar, mesmo em casa, futuros problemas. Lavar as mãos antes de preparar qualquer alimento, para não transmitir bactérias como os estafilococos ( em geral encontrados na pele e na garganta) ou mesmo shigella (eliminada com a matéria fecal). Torne a lavar as mãos depois de manipular ovos e carne crus. Não coma alimentos de natureza protéica crus, como peixe, ave, carne de vaca, leite ou ovos. Evite o Sushi, as ostras na concha, as saladas feitas com ovos crus, e as gemadas feita de ovos crus. Não use ovos rachados. Os alimentos crus podem abrigar bactérias. Aqueça ou esfrie os alimentos crus. As bactérias não se multiplicam acima de 65, 5ºC ou abaixo de 4,5ºC. Cozinhe os alimentos até a cor rosada desaparecer, as aves até não mais haver articulações avermelhadas e o peixe até começar a descamar ou a soltar flocos. O cozimento completo é a única forma de assegurar que todas as bactérias potencialmente prejudiciais foram eliminadas. Use um termômetro de carne, sobretudo ao preparar grande quantidade de carne ou ave em forno de microondas. Você também estará garantindo seu cozimento completo. Não prove a carne de porco ainda crus, tampouco o peixe e nem mesmo a carne, até estarem completamente cozidas. Não deixe que o sumo da carne crua pingue sobre outros alimentos. Poderá contamina-los. Use utensílios separados, como a tábua para picar legumes e outra para manipular a carne crua, limpando-a com detergente após o uso. Ajuda a prevenir a contaminação. Limpe, raspando, os abridores, os sulcos e as fendas  nos utensílios. Evita que as bactérias ali se escondam. Substitua as esponjas com frequência e use toalha de papel para limpar o balcão da pia e outras bancadas da cozinha usadas para prepara alimentos. Não deixe alimentos á temperatura ambiente por mais de duas horas, e evite comer qualquer alimento que suspeite ter ficado, por esse período de tempo, a essa temperatura. As bactérias crescem em alimentos batata etc. Descongele a carne na própria geladeira. As bactérias pode se multiplicar em superfície alimentar enquanto o centro estiver congelado. Refrigere imediatamente os restos, mesmo que ainda estejam quentes. Resfrie os grandes assadores em pequenas porções. Não colha e coma cogumelos silvestres. Algum trazem toxinas que atacam o sistema nervoso e podem ser letais. A colheita desses cogumelos deve ser feita por especialistas. Não prove os alimentos enlatados em casa antes de fervê-los durante 20 minutos. Se  não tiverem sido enlatados propriamente, o alimento poderá conter uma bactéria que produz uma toxina muito perigosa. Não prove qualquer alimento que não pareça de bom aspecto ou não tenha bom cheiro. Evite os recipientes rachados ou inchados, as latas amassadas ou os líquidos claros que se mostram turvos, leitosos, ou as latas e as vasilhas que, quando abertas, exibem um odor estranho. Podem conter bactérias perigosas. Certifique-se de jogá-los no lixo para que os animais doméstico não entrem em contato.

Beber muito líquido. As bactérias irritam o tubo digestivo e causam acentuada perda de líquido, possivelmente pelas duas extremidades. Você terá de beber muito líquido para não ficar desidratado. A água vem em primeiro lugar na lista de opções, seguida dos sucos leves como o de maçã, dos caldos, das canjas. Os refrigerantes não têm contra-indicação, desde que você os tome sem efervescência. O gás, a efervescência, irritam ainda mais o estômago. Curiosamente, a Coca-Cola choca, sem gás, por razões desconhecidas, ainda ajuda a acalmar o estômago. Que se pode remover o gás rapidamente dos refrigerantes derramando de um copo a outro repetidas vezes.

Beber devagar. Ao tentar engolir grande quantidade de líquido repentinamente, você estará desencadeando mais vômito.

Para repor a perda de líquido. O vômito e a diarréia podem causar a espoliação de importantes eletrólitos: o potássio, sódio e glicose. Você pode repô-los usando produtos comerciais como o pedialyte ou experimentado a seguinte fórmula reidratante: misture um suco de fruta ( que contém potássio) com 1 colher ( de chá) de mel ou xarope de milho (que  contém glicose), e uma pitada de sal de mesa ( cloreto de sódio).

Guarde os antiácidos para caso de azia.  Pode reduzir os ácidos do estômago e debilitar as defesas antibacterianas. “Possivelmente”. “as bactérias poderiam se multiplicar mais depressa e em maior número se você tomasse anti-ácido”.

Não interferir com a evolução do processo. O corpo está tentando eliminar o organismo tóxico.”Em alguns casos, o uso de antidiarreicos  como o Lomotil, pode interferir na capacidade do organismo de combater a infecção”. “Por isso, evite-os e deixe a natureza seguir o próprio curso. Se achar  necessário tomar alguma coisa, consulte primeiro o médico.alimentar

Não provocar vômito. Não deixe que a palavra intoxicação o apavore metendo o dedo na garganta.”Não há necessidade disso”.

Alimentos brandos. Em geral é questão de algumas horas a um dia, depois de cederem o vômito e a diarréia, você já pode começar a alimentar-se de forma correta. Mas vá com calma. O estômago foi agredido : está fraco e irritado. ” Comece com alimentos facilmente digeríveis”. Experimente os cereais, os pudins, os biscoitos de água e sal, os caldos. Evite alimentos ricos em fibras, condimentados, ácidos, gordurosos, açucarados, ou laticínios que poderiam irritar ainda mais o estômago. Proceda assim por dois dias. Em seguida, o estômago estará pronto para reassumir a rotina alimentar.

 

Seja o primeiro a comentar!

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo: