Scroll Top

tratamento

Adeus a Corrimento Vaginal com Estes 5 Ingredientes

Muitas mulheres ficam na dúvida sobre corrimentos vaginais. Até que ponto é normal ter secreção? Quando ela é clara, sem odores fortes e principalmente acontece na época da ovulação, é uma secreção vaginal absolutamente normal. Já um corrimento com odor fétido, de cores variadas, merece atenção especial de um ginecologista. Pode ser corrimento causado por fungos ou bactérias. A secreção normal é composta de líquidos e mucos produzidos pelas glândulas, além do suor. É o conteúdo da flora vaginal, com bactérias e fungos que fazem parte da região. “Calcinhas de tecidos sintéticos, roupas muito apertadas e fatores alérgicos podem aumentar essa secreção”.

a quantidade normal de secreção varia de acordo com o dia do mês. “Quando está ovulando, há a secreção de clara de ovo. Durante a fase fértil, a mulher terá mais secreção, que é diminuída na menopausa. Na infância, é praticamente inexistente”.

Serão sinais de corrimento:

  • O aumento do volume do conteúdo vaginal
  • Quando umedecer as vestes íntimas todos os dias, às vezes passando para as roupas externas
  • Quando variar a cor de branco opalescente e cristalino (de acordo com a fase do ciclo) para amarelo tipo pus, amarelo-acinzentado, amarelo-esverdeado, branco-amarelado etc
  • Quando o odor se tornar fétido principalmente após relação sexual e no final do ciclo menstrual.

Os sintomas são principalmente:

  • Coceira vulvovaginal
  • Ardor
  • Dor pélvica
  • Dor e ardor ao urinar
  • Dor durante a relação sexual.

Causas

Na maioria das vezes o corrimento é provocado por alterações do equilíbrio da flora vaginal. Algumas bactérias são próprias da vagina e fazem a defesa contra infecções. Estas são algumas condições que predispõem a este desequilíbrio:

  • Hábitos de higiene desfavoráveis
  • Relações sexuais sem uso de preservativo
  • Alérgenos (perfumes, geleias contraceptivas, tecidos, sabão , duchas vaginais, banho de espuma, etc)
  • Agentes infecciosos, como vaginose bacteriana, candidíase, tricomoníase,clamídia, gonorreia e HPV
  • Problemas dermatológicos, como dermatite atópica, psoríase, etc
  • Alteração do PH vaginal: o ph ácido da vagina normal fica entre 3,5 e 4,5. Esses níveis constituem uma barreira de defesa contra germes
  • Condições que alteram o PH e ou a flora bacteriana, como diabetes, queda imunológica por estresse ou doença, uso de antibioticoterapia, duchas vaginais, gestação, ciclo menstrual etc
  • Causas inespecíficas, como ausência de bacilos de Doderlein, bactéria que faz uma barreira de defesa do aparelho genital
  • Atrofia vaginal, que é o afinamento e ressecamento das paredes vaginais durante menopausa
  • Infecção pélvica após cirurgia.corrimento

Sintomas de Corrimento vaginal

A cor do conteúdo vaginal pode mudar durante o ciclo menstrual sem que isso caracterize uma doença. Na maior parte do tempo ela é branca, mas no meio do ciclo menstrual, costuma ter aspecto de clara de ovo. Também é possível que ela apareça ligeiramente amarelada na calcinha por conta de reações químicas que a secreção sofre quando entra em contato com o ambiente externo.

Já o corrimento vaginal suspeito provoca uma espécie de mancha branco-acinzentada ou amarelo-esverdeada na calcinha e, além do cheiro forte, do ardor e da coceira, pode estar associado a uma dor na região pélvica. Confira os diferentes tipos de corrimento vaginal e o que eles podem indicar:

Marrom ou cor de sangue escuro

Pode indicar ciclos menstruais irregulares, ou com menos frequência, câncer cervical ou do endométrio. Pode vir acompanhado de dores abdominais e sangramentos.

Amarelo semelhante a pus

Pode indicar gonorreia, e pode vir acompanhado de sangramento entre os períodos; dor e sangramento ao urinar, com curta duração podendo por isto passar despercebido.

Amarelo-esverdeado ou acinzentado, bolhoso, fluido e com mau cheiro

Pode indicar tricomoníase, principalmente se houver dor e desconforto em baixo ventre e durante a relação sexual e coceira vaginal intensa.

Cor de rosa

Eliminação do revestimento interno do útero após o parto, também chamado de lóquios.

Espesso e branco esverdeado, com grumos

Se o corrimento for semelhante a leite talhado indica infecção vaginal por fungo (cândida), que podem vir acompanhada de inchaço, sensibilidade vulvovaginal intensa, irritação e ardor ao redor da vulva, coceira intensa e relações sexuais dolorosas e dor ao urinar. Costuma melhorar durante as menstruações.

Amarelo-acinzentado fluido, com odor de peixe podre

Se esse corrimento ocorrer após as relações sexuais e ou menstruações indica vaginose bacteriana, que vem acompanhada de coceira ou ardência, vermelhidão e inchaço da vagina e vulva.

Como é possível tratar o corrimento vaginal com remédios caseiros?

Além dos cuidados essenciais com a higiene e também com os produtos que podem causar alergias, como os absorventes perfumados, etc. e com as roupas apertadas e em materiais sintéticos, também deve-se ter uma atenção especial com certas regras de higiene íntima que poderão ajudar a evitar certos tipos de corrimentos:

  • em primeiro lugar, a higiene anal: sempre deve ser feita da frente para trás!
  • durante o ciclo menstrual, fazer lavagens da vagina durante o dia, pode ser apenas com água fria, para que o ambiente úmido e quente não favoreça a proliferação de bactérias, como a cândida. E o absorvente deve ser trocado seguidamente, pelo mesmo motivo.
  • logo após a relação sexual, é importante urinar, mesmo que seja pouca quantidade, já que, assim, bactérias que se alojem na uretra, são expelidas.

Existem também, algumas receitas  de remédios caseiros que podem ajudar a aliviar esses incômodos:

– CENOURA E SALSÃO: meio copo de suco de cenoura, com meio copo de suco de salsão, beber uma hora antes do almoço.

– MELÃO: substituir uma das refeições, de preferência o desjejum, por melão, durante 2 meses.

  • em primeiro lugar, a higiene anal: sempre deve ser feita da frente para trás!
  • durante o ciclo menstrual, fazer lavagens da vagina durante o dia, pode ser apenas com água fria, para que o ambiente úmido e quente não favoreça a proliferação de bactérias, como a cândida. E o absorvente deve ser trocado seguidamente, pelo mesmo motivo.
  • logo após a relação sexual, é importante urinar, mesmo que seja pouca quantidade, já que, assim, bactérias que se alojem na uretra, são expelidas.

Chá de goiabeira para corrimento vaginal

Um ótimo remédio caseiro para acabar com o corrimento vaginal do tipo amarelo-esverdeado e com mau cheiro, ou corrimento branco tipo leite coalhado, são as folhas de goiabeira (Psidium guajava L.).

Ingredientes

  • 30 g de folhas de goiabeira
  • 1 litro de água

Modo de preparo

Ferva a água e desligue o fogo. Acrescente, então, a erva e abafe durante 3 a 5 minutos. Depois, coe e faça um banho de assento com esse chá, lavando cuidadosamente toda a região genital. Repita o procedimento de 2 a 3 vezes ao dia.

O banho de assento para corrimento feito com as folhas de goiabeira é eficaz no tratamento do corrimento causado por Tricomoníase e Candidíase. Além disso, o remédio caseiro é seguro e não causa efeitos colaterais, nem possui contraindicações.corrimento-corrimento

Chá de goiabeira e vassourinha-doce

Ingredientes

  • 1 punhado de folhas de goiabeira
  • 1 punhado de folhas de vassourinha-doce
  • 2 copos de água

Modo de preparo

Colocar as folhas de goiabeira e de vassourinha-doce em um recipiente e adicionar água fervida. Tampar, deixar esfriar e coar.

Fazer a higiene íntima normalmente e, quando acabar, lavar o local com a infusão durante alguns minutos. Secar com um pano limpo e macio. Deve-se repetir a lavagem todos os dias antes de ir deitar durante 1 semana.

Alimentação para combater o corrimento vaginal

Além do uso do banho de assento, a alimentação pode ajudar no tratamento do corrimento. Deve-se investir em uma alimentação natural, à base de frutas, legumes e verduras, evitando ao máximo o consumo de alimentos industrializados. Os alimentos mais indicados para complementar o tratamento são:

  • Iogurte natural
  • Chicória, couve
  • Limão, melão, romã

Esse tipo de alimentação altera o pH sanguíneo e da região íntima feminina, facilitando o reequilíbrio da flora bacteriana da região. Porém, se o corrimento persistir por mais de 3 dias, mesmo com os tratamentos caseiros, recomenda-se uma consulta médica.

Estes remédios caseiros podem ser úteis em caso de:

  • Tricomoníase
  • Candidíase

 

Seja o primeiro a comentar!

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo: