Scroll Top

Doenças e Tratamentos

Amenorreia – o que é, Causas e Tratamentos Naturais

Amenorreia é ausência de menstruação. Quando ela não vem até os 16 anos, é chamada amenorreia primária. Quando a menstruação pára definitivamente ou durante algum tempo, temos a amenorreia secundária.

Causas:aneno

Amenorreia primária pode não ter qualquer causa importante, constituindo apenas atraso do início da puberdade. Mas ás vezes é provocada por doença do sistema hormonal, como tumor da hipófise ou supra-renal, ou por hiperplasia da supra-renal. O hipotireoidismo, em que a menina apresenta obesidade anormal, é outra causa possível. A síndrome de Turner, doença genética rara, pode também levar á amenorreia primária. Meninas que exibem malformações de útero desde o nascimento podem não menstruar ou apresentar distúrbios menstruais na puberdade. Essas malformações podem mesmo passar despercebidas até a primeira menstruação, quando surge o problema. Há casos de meninas que não menstruam por não haver perfuração no hímen, membrana que fecha a entrada da vagina.

A amenorreia secundária acontece mais frequentemente em mulheres adultas e é normal na gravidez, quando a menstruação cessa. Na menopausa, ela cessa permanentemente. Tumor ou cistos no ovário podem provocar alterações hormonais que levam á amenorreia.

A suspensão da pílula anticoncepcional é causa comum de amenorreia. Há casos de a menstruação demorar muito a se normalizar, até meses. Distúrbios emocionais vêm sendo ultimamente apontados como causa de amenorreia secundária. A anorexia nervosa (perda de apetite devido a problemas emocionais) pode ocasionar, juntamente com a desnutrição, suspensão da “regra”. Cirurgias como remoção de útero e/ou ovários podem provocar amenorreia permanente. Vários medicamentos podem afetar o ciclo menstrual, e por isso devem-se averiguar essas possibilidades. Os neuropatas afirmam que o estilo de vida da mulher moderna afeta sua saúde a ponto de alterar o equilíbrio hormonal e precipitar amenorreia. Má alimentação, cigarro e álcool, aliados ao estresse, estão entre os grandes vilões das disfunções endócrinas do aparelho reprodutor. Para descobrir a causa, é necessário estudar os níveis de hormônios no sangue. Exames em alguns casos requisitados: laparoscopia, ultra-sonografia e tomografia.

Sugestões naturais:

Hortaliças:

Agrião — Comer agrião em saladas cruas copiosamente. Ou tomar suco de agrião, meio copo ao dia, fracionadamente (dividir em quatro ou cinco vezes). Certificar-se, porém, antes, de que não se trata de gravidez.

Cenoura — Chá das sementes da cenoura, 10 a 15 gramas para um litro de água, 2 xícaras das de chá, ao dia. Usar sementes sem agrotóxicos.

Chicória — Meio copo duplo de suco de chicória em jejum.

Espinafre — É indicada cru como excelente remédio no combate a amenorreia e dismenorreia, catarros intestinais e diarreias . Tomar uma ou duas xícaras do suco ao dia.

Salsa — Chá da raiz, na dose de 15 gramas para um litro de água três colheres, das de sopa, da planta picada, de 2 a 3 xícaras ao dia.

Frutas:

Abacate — Chá das folhas do abacateiro, 2 xícaras ao dia.

Abacaxi –– Substituir uma refeição diária por abacaxi, exclusivamente, de preferência o desjejum, durante um mês.

Plantas:

Alecrim –– Chá de alecrim. Dose: três colheres, das de sopa, da planta picada para um litro de água, uma xícara, três vezes ao dia. Atenção: para mulheres grávidas, pode ser abortivo.

Angélica — Chá de angélica. Dose: três colheres, das de sopa, da planta picada para um litro de água, uma xícara, três vezes ao dia. Cuidado: para mulheres grávidas, pode ser abortivo.

Sálvia — Infuso de flores e folhas. Dose: duas colheres, das de sopa, da planta picada para um litro de água, uma xícara, quatro vezes ao dia.

Outras sugestões naturais:

É preciso investigar a causa, para definir o tratamento. Quando o problema tem origem emocional, ou tem que ver com o modo de vida, os tratamentos naturais podem ajudar consideravelmente. É preciso corrigir a alimentação, abandonar os vícios, dormir o suficiente, adotar postura mental serena. Enfim, viver de modo saudável. Estas simples providências são, muitas vezes, suficientes para garantir o retorno á normalidade.

Seja o primeiro a comentar!

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo: