Scroll Top

alimentos saudáveis dicas Dicas de Saúde dieta dieta japonesa

Benefícios da Dieta Japonesa para Perde Peso

A dieta japonesa é uma das mais usadas no Japão, pois apresenta uma grande perca de peso no corpo. Mas assim como muitas tradições japonesas, essas é uma dieta super “maluca” e que exige muito do corpo, a alimentação é super restrita e pode causar riscos a saúde. Ela não apenas queima a gordura do corpo, como também elimina massa magra, e por isso pode ser algo de risco para a alimentação. A dieta japonesa possui um cardápio aonde a pessoa chega a emagrecer 8 quilos em uma única semana. A proposta dessa alimentação é reduzir a quantidade de calorias, e como conseqüência os alimentos, que são consumidos no dia a dia. Uma dieta saudável e ideal para qualquer organismo e corpo, é uma alimentação que possua 6 refeições diárias, compostas por alimentos saudáveis e com baixas calorias, mas que proporcionem energia para o organismo e que não sejam tão restritos., A dieta japonesa é muito rigorosa e apenas possui 3 refeições diárias, por isso não deve-se pular qualquer alimentação, e para que seu corpo não sofra ainda mais com a falta de nutrientes, vitaminas e minerais, é ideal não praticar exercícios físicos durante a alimentação, e o cardápio deve apenas ser seguido por 7 dias.

O que é a dieta japonesa: Infelizmente não se trata de deliciosos Sushi com molho teriyaki. Trata-se de uma dieta a base de proteínas. É totalmente baseada no corte radical dos carboidratos, para que o organismo seja obrigado a consumir energia das gorduras e proteínas. As pessoas nessa dieta chegam a perder 5kg em uma semana, e se suportarem, podem estender sua aplicação por mais uma semana, não devendo ultrapassar este período. Perceba que nesta dieta são programadas apenas 3 refeições diárias, diferente de muitas que incluem pequenos lanches intercalando.dieta-japonesa

A Dieta Japonesa funciona mesmo? Olhando os alimentos que fazem parte do cardápio da dieta Japonesa, nota-se que essa dieta se baseia em um consumo reduzido de carboidratos e favorecimento do consumo de proteína animal, além das refeições serem bem limitadas. Você consegue comer apenas 2 ovos cozidos durante o jantar? Ou comer só presunto na janta? Pois essas serão algumas das refeições do cardápio para a semana se você seguir essa dieta. E é bom lembrar que a dieta Japonesa permite apenas 3 refeições ao dia. Ou seja, é o típico “Regime da Fome”, um regime de emergência para quem deseja emagrecer rápido. Outra coisa a se observar é que os alimentos do cardápio em nada lembram uma alimentação típica japonesa. Isso levanta a hipótese de que essa dieta foi inventada sem muitos critérios e foi dada à ela um nome genérico atraente. Não está documentado quem foi o criador dessa dieta, apenas seu cardápio é reproduzido em vários sites brasileiros. Provavelmente nenhum nutricionista irá recomendar esse tipo de dieta já que ela é muito pobre em carboidratos e desbalanceada. Tanto é que o conselho dos proponentes dessa dieta é não praticar exercícios físicos durante a semana em que a pessoa faz essa dieta por causa da carência de carboidratos. Sendo um tipo de “Dieta da Fome” não é de se espantar que haja vários relatos dizendo que a dieta Japonesa funciona. Mas isso acontece com qualquer dieta que faz com que você coma bem menos que o normal. Após uma semana de muito sacrifício obedecendo ao cardápio, você conseguiu emagrecer mas as chances de recuperar todo o peso perdido novamente são grandes

Dicas da Dieta Japonesa: alimentação-da-dieta-japonesa antes de optar pelo método dessa dieta japonesa, que pode ser de grande risco para o seu corpo, é ideal consultar um nutricionista antes, para saber se o seu corpo é suficientemente saudável para poder aderir esse tipo de alimentação. Para emagrecer produtivamente, basta consumir o cardápio da dieta japonesa, e após os sete dias de alimentação super rigorosa, ir até um nutricionista e solicitar um cardápio saudável a base de alimentos pobres em calorias, em não optar mais por esse tipo de alimentação maluca. Essa dieta pode ser feita apenas uma única vez, e para continuar perdendo peso e manter o corpo magro, a pessoa deve manter a alimentação indicada por um nutricionista, de acordo com as necessidades do seu corpo. Beba cerca de 2 litros de água, ou chás, ou sucos naturais ao longo do dia para poder manter o corpo hidratado e sempre nutrido.

Cardápio Da Dieta Japonesa Para Emagrecer 8 Quilos em 7 Dias

Segunda-feira

  • Café da manhã: café ou chá com adoçante;
  • Almoço: dois ovos cozidos com sal e verduras;
  • Jantar: Um bife grande e salada de pepino e alface.

Terça-feira

  • Café da manhã: café ou chá com adoçante e um biscoito água e sal;
  • Almoço: verduras e frutas e um bife grande;
  • Jantar: Apenas presunto à vontade.

Quarta-feira

  • Café da manhã: café ou chá com adoçante e um biscoito água e sal;
  • Almoço: dois ovos cozidos, salada e tomate à vontade;
  • Jantar: salada de repolho, cenoura e chuchu à vontade.

Quinta-feira

  • Café da manhã: café ou chá com adoçante e um biscoito água e sal;
  • Almoço: um ovo cozido, cenoura crua ou cozida à vontade e uma fatia de queijo mussarela;
  • Jantar: salada de fruta à vontade e um iogurte natural.

Sexta-feira

  • Café da manhã: café ou chá com biscoito água e sal;
  • Almoço: tomate à vontade e filé de peixe frito;
  • Jantar: bife e salada de frutas à vontade.

Sábado

  • Café da manhã: café ou chá com biscoito água e sal;
  • Almoço: frango assado a vontade;
  • Jantar: dois ovos cozidos com sal.

Domingo

  • Café da manhã: café ou chá com biscoito água e sal;
  • Almoço: Um bife grande e frutas à vontade;
  • Jantar: Comer o que quiser dentro desse regime.

 

Mulheres japonesas não envelhecem nem engordam: Aos 53 anos de idade, Hideko Honma não vai muito longe quando busca modelos para um envelhecimento saudável. Enquanto outras mulheres da mesma idade se espelham em sexagenárias famosas, ela busca conselhos com seus pais, Masatoshi Setani, de 85 anos, e Kazuko Setani, de 79 anos. ‘Eles caminham, praticam esportes, viajam’, diz Hideko, 1m 50 de altura e 49 quilos. Kasuko e Setani também ensinaram à filha a importância de uma dieta à base de peixe, soja, arroz, vegetais e frutas. Esta é o segredo número 1 revelado por Naomi Moriyama e William Doyle em seu livro ‘mulheres japonesas não envelhecem nem engordam’ (Editora Rocco, tradução de Sabine Dorle Krzikalla, R$ 34). Consultora de marketing, Naomi e o marido, co-autor do livro, adoram comida japonesa. Ela não dispensa uma pizza ou um doce de vez em quando, mas sabe o valor da culinária ensinada por sua mãe. ‘Há um país onde as mulheres vivem mais tempo do que em qualquer outro lugar na Terra. É um lugar onde existe a menor obesidade do mundo desenvolvido. Onde mulheres de quarenta anos parecem ter vinte’, escreve a autora do livro sobre o Japão. É claro que há um tanto de genética envolvida nesta história, mas o estilo de vida fala alto. Prova disso é que os japoneses que se ocidentalizam podem sofrer com hábitos de vida nocivos. Um exemplo é a porcentagem de diabetes em nipo-brasileiros: ela aumentou de 22,6% para 36,1%, entre 1993 e 2000, segundo dados do grupo Japanese-Brazilian Diabetes Study Group (JBDSG), que reúne pesquisadores da USP e Unifesp. No Japão, este número é de apenas 6,9%, segundo o Atlas da Federação Internacional de diabetes. ‘No Brasil, 20% dos japoneses são obesos. No Japão, este percentual diminui para 10%’. Entre as mulheres que vivem lá , este número é ainda menor, como consta no livro de Naomi Moriyama: apenas 3% são obesas. Se os bons hábitos japoneses são assim tão benéficos, como tirar proveito deles? No livro, Naomi dá detalhes sobre o que ela considera os sete segredos da cozinha de sua mãe. Alguns deles são velhos conhecidos de endocrinologistas e nutricionistas. ‘A comida japonesa tem um teor de gordura menor. Além disso, eles consomem muitos legumes cozidos, frutas e soja’.  Muitas pessoas também fazem a chamada dieta do Leite e tem conseguido bons resultados. Hirata, que tem 1m 82 e pesa 79 kg, diz que um dos grandes segredos japoneses é sair da mesa sempre com um pouquinho de fome. ‘Eles comem várias vezes ao dia, pequenas porções. Nunca se enchem de comida’. Segundo o endocrinologista, o ocidental que seguir a dieta japonesa pode, sim, se dar bem. No entanto, há algumas contra-indicações. ‘Hipertensos, por exemplo, podem sofrer com o excesso de sódio no glutamato e no molho de soja.

Sete dicas para uma vida magra e longa com a Dieta Japonesa. A dieta japonesa se baseia em peixe, soja, arroz, vegetais e frutas. Os japoneses comem porções bem menores, servidas sobre louça pequena e bonita. O segredo é comer várias vezes ao dia, em pequenas quantidades. A culinária japonesa é super rápida e ultra suave. Em vez de torrar e assar, as japonesas cozinham a vapor, grelham refogam, cozinham em fogo baixo ou fritam rapidamente em fogo alto.

  • Os japoneses comem arroz em vez de pão às refeições.
  • As mulheres japonesas são as rainhas do café da manhã energético.
  • As mulheres japonesas são loucas por sobremesa…de modo especial. ‘A diferença’, escreve Naomi, ‘é que elas comem
  • sobremesas com menor freqüência e em porções menores.’
  • As mulheres japonesas têm um relacionamento diferente com a comida. A dieta japonesa dá pouco motivo para uma dieta.

Você deve ter cuidado com essa dieta! Apesar do nome, a dieta Japonesa não tem nada a ver com os costumes alimentares do povo japonês. Parece que esse nome foi dado a essa dieta apenas com o intuito de dar um pouco de credibilidade a um regime extremamente agressivo que pode provocar sérios problemas de saúde. Portanto, pense bem antes de iniciar essa dieta, e não comece um regime tão restritivo como esse sem o acompanhamento de um profissional de saúde competente.

O risco do efeito sanfona! A dieta Japonesa realmente pode te ajudar a perder peso rápido, no entanto, você corre o risco de estressar o seu organismo e sofrer com problemas de saúde, afinal, esse regime priva o seu corpo de nutrientes importantes. Mas, além disso, você também corre o risco de sofrer com o terrível efeito sanfona. Como essa dieta é muito restritiva, normalmente acontece um emagrecimento muito rápido, no entanto, o que se perde não é apenas a gordura, ocorre também muita perda de água e massa magra. Assim, logo que você termina a dieta, a tendência é que volte a comer tudo o que comia antes do regime, pois ninguém merece ficar a vida inteira morrendo de fome. Não é verdade? Pois é! O problema é que o seu corpo ficou 7 dias sem receber a quantidade de alimento que necessita para funcionar adequadamente, portanto, a tendência é que ele se esforce para guardar a maior quantidade de calorias possível, afinal, sofreu muito durante os 7 dias da dieta. Contudo, ele é bastante esperto, e com certeza vai se prevenir para não sofrer tanto novamente.

E tem mais! Por ter recebido uma quantidade insuficiente de alimento durante uma semana inteira, o organismo dá um jeito de diminuir a velocidade do metabolismo para gastar menos energia, o que facilita ainda mais o acúmulo de calorias.japonesa-dieta

Certamente você já imaginou qual é a tragédia. Ao terminar a dieta, mesmo que você se esforce para ter uma alimentação mais saudável, muito provavelmente ganhará alguns quilinhos. E se você voltar a se alimentar da mesma forma como se alimentava antes de iniciar a dieta, com certeza engordará bem mais rápido do que emagreceu. Esse é o chamado efeito sanfona, e ele não é brincadeira.

O que você pode fazer para emagrecer de maneira saudável! Você precisa ter sempre em mente que as dietas da moda não são, de forma alguma, a melhor solução para quem deseja perder peso, afinal, elas dificultam muito a manutenção do peso pós-dieta. Para emagrecer e manter o peso ideal ao longo do tempo o melhor mesmo é investir em uma alimentação saudável e balanceada, e fazer exercícios físicos com regularidade. Se você seguir essa receita, certamente conseguirá alcançar o seu objetivo. Você já sabe como funciona a dieta Japonesa, também conhece os riscos de se investir nesse tipo de regime. Agora cabe a você decidir qual caminho tomar, mas lembre-se, não existe dieta milagrosa, e não é uma boa ideia brincar com a saúde.

Seja o primeiro a comentar!

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo: