Scroll Top

Doenças e Tratamentos

Epilepsia – o que é, Causas e Tratamentos Naturais

A epilepsia é uma doença nervosa, com manifestações ocasionais, súbitas e rápidas, entre as quais se destacam convulsões e distúrbios de consciência. É uma descarga elétrica  excessiva e abrangente que incide sobre o sistema nervoso central, o qual entra, momentaneamente, em colapso elétrico, liberando impulsos que agitam a musculatura de vasta extensão do corpo, além de estimular outras funções.

Causas:eplii

A causa do distúrbio eletrofisiológico é uma lesão localizada em algum ponto do encéfalo. Tal lesão pode ser produzida por diversos fatores, que vão de acidentes com traumas encefálicos a injúrias de agentes microbianos, como vírus. Uma das causas mais comuns é o tramatismo encefálico por excessiva compressão da cabeça durante o trabalho de parto.

Doenças infantis, como sarampo, escarlatina e catapora (ou varicela), podem, ocasionalmente, atingir o encéfalo e produzir lesões que determinam a epilepsia. A cisticercose cerebral produz, muitas vezes, manifestações epileptiformes.

Batidas na cabeça, traumatismo cranianos acorridos em acidentes, podem lesar o tecido nervoso do sistema nervoso central e vir a ocasionar, mais tarde, epilepsia. Malformações que abranjam o sistema nervoso central, na área do encéfalo, podem ser causa de epilepsia.

Quaisquer doenças que envolva o encéfalo, como meningoencefalites, encefalites, tumores cerebrais, hipertensão arterial, aterosclerose etc., podem desencadear sintomas convulsivos. Ao se estabelecer um quadro crônico de lesão encefálica, com os episódios epileptiformes, estamos diante de uma condição que se pode enquadrar na definição de epilepsia.

Sugestões naturais:

Hortaliças:

Alface –– Tomar o suco de talo da alface antes de deitar. Bater no liquidificador com um pouco de água e coar. Dose: meio copo pequeno.

Frutas:

Limão — “Cura de limão”. Começa-se com um limão; 1 no primeiro dia, 2 no segundo dia, 3 no terceiro dia, e assim por diante, até 10; depois, diminuir a dose pela mesma escala. Assim, em 20 dias, faz-se a chamada “cura de limão”. Diluir os limões em água e fracionar ao longo do dia.

Laranja, mamão, uva, e pêra —  substituir uma refeição diária por laranja, exclusivamente, de preferência o desjejum, durante uma semana; na segunda semana, mamão; na terceira semana, uva; na quarta, pêra. Na quinta, repete-se o tratamento da primeira. Assim, vai-se alternando sucessivamente por três ou quatro meses.

Plantas:epe

1 – Semana: Chá de tanchagem, bardana e salsaparrilha misturadas. Dose: três colheres das de sopa, das plantas picadas para um litro de água, de 2 a 3 xícaras ao dia.

2 – Semana: Chá de dente-de-leão e chapéu-de-couro. Dose: três colheres das de sopa, das plantas picadas para um litro de água, de 3 a 4 xícaras ao dia.

3 – Semana: Chá de erva-cidreira-verdadeira. Dose: três colheres, das de sopa, da planta picada para um litro de água, de 2 a 3 xícara ao dia.

4 – Semana: Chá de camomila. Dose: duas colheres, das de sopa, da planta picada para um litro de água, de 1 a 2 xícaras ao dia.

5 – Semana: Repetir a indicação da primeira. Ir alternando, semana a semana, durante 2 ou 3 meses.

Seja o primeiro a comentar!

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo: