Scroll Top

alimentos saudáveis saladas

Esses Vegetais que Faz Engordar na Dieta

Ricos em fibras e fonte de vitaminas essenciais, os vegetais são obrigatórios no cardápio diário. Mas fique de olho na quantidade consumida e na forma de preparo desses alimentos, pois até cebolas vermelhas podem surpreender no número de calorias. Quanto mais fresco um alimento, melhor… “quanto menos processos o alimento sofre no caminho entre a colheita e nossa mesa, melhor; quanto mais variados os pratos a cada refeição, melhor; quanto mais integrais e menos refinados os alimentos, melhor…” Essas são as dicas de boa alimentação segundo as especialistas em cozinha vegetariana. Ao contrário do que muitos pensam, a preferência por uma dieta rica em vegetais também deve ser equilibrada, não só em razão de suas vitaminas, mas também porque, de maneira geral, o nutriente neles prevalecente é o carboidrato, amido, glicose e frutose. De acordo com, especialista em reeducação alimentar e cuidados integrativos, os alimentos de origem vegetal são muitos: cereais, leguminosas (feijão, soja, lentilha, ervilha etc.), feculentos (raízes e tubérculos), hortaliças (verduras e legumes) e frutas. “É no grupo dos feculentos que encontramos as batatas, a mandioca, o cará, o inhame, e a mandioquinha, todos eles com maior número de calorias”.vegetal-vegetal

Quais os vegetais que mais engordam? uma dieta de emagrecimento é importante saber quais os vegetais que mais engordam, de modo a evitá-los. As hortaliças, nomeadamente verduras e legumes são muito aconselhados para perder peso, no entanto há um grupo de vegetais que não goza de boa reputação, no que ao emagrecimento diz respeito, são os vegetais ricos em amidos.

Vegetais que mais engordam – saiba quais são ? Os hidratos de carbono não só se encontram no pão, massas e cereais. Há variedades de hortaliças, sobretudo, os tubérculos e as leguminosas que contêm muitos hidratos de carbono, cujos teores variam entre 15 a 40 g por cada 100 g de alimento, frente aos vegetais pobres em hidratos, que possuem apenas cerca de 4 g por cada 100 g de alimento. Os vegetais que mais engordam, são também vulgarmente chamados de vegetais feculentos. Têm a reputação de fazerem engordar, porque provocam no organismo o mesmo efeito que os tradicionais acompanhamentos arroz, massas e pão. Por isso convém conhecê-los: Os legumes e hortaliças que mais engordam são: batatas, ervilhas, milho, cenoura, batata doce, abóboras de inverno (facilmente reconhecidas porque têm a casca muito grossa); quase todas as leguminosas (lentilhas, grão de bico, ervilhas, feijão, favas); os tubérculos como o inhame, a batata, a batata doce, a beterraba, a cenoura, a cherovia, a mandioca, a banana da terra (usada para cozinhar).

Porque engordam estes vegetais? Embora também sejam ricos em nutrientes benéficos para a saúde tal como os vegetais pobres em hidratos de carbono, mas contribuem para o ganho de peso, devido aos seus amidos, que à semelhança dos tradicionais hidratos de carbono arroz, massas, pão… causam também aumentos nos níveis de açúcar no sangue e picos de insulina. Isto quer dizer que os seus açúcares serão armazenados como gordura e, as subidas dos níveis de insulina têm o inconveniente de fazer abrir o apetite, por isso as dietas pobres em hidratos de carbono desaconselham o seu consumo, devendo-se em vez disso, privilegiar os legumes e verduras baixos em amidos. Se mesmo assim deseja incluir vegetais ricos em amido na sua dieta, faça-o em pequenas porções, mais propriamente ao almoço e evitando-os ao jantar.

Moderar é preciso: Apesar de os vegetais serem considerados alimentos pouco calóricos, há quem os classifique como sendo de muito baixo teor calórico (tomate, pepino, alface, rúcula, agrião, acelga); baixo teor calórico (abóbora, cenoura, cebola, beterraba, couve-flor, vagem cogumelo, ervilha, palmito, quiabo, chuchu, aspargo) e tubérculos (batatas doce e salgada , inhame, mandioca etc.) A quantidade de alimentos do primeiro grupo pode ser consumida à vontade. Os do segundo precisam ser consumidos com moderação. Neles, a porção indicada é de 3 a 5 colheres de sopa ao dia, especialmente por suas características

Alimentos vilões? Se existe uma classe de vegetais que pode ser chamada de vilã, ela seria a dos tubérculos. Embora sejam responsáveis pelo fornecimento de energia para o organismo, são ricos em calorias e carboidratos. Daí a razão por que seu consumo dever ser limitado, mas jamais evitado. “É verdade que cereais, leguminosas e tubérculos são mais calóricos quando comparados às hortaliças e frutas. Porém, eles devem compor a dieta, atendendo às necessidades diárias, o que significa consumo equilibrado”. O fato é que tubérculos são vegetais típicos do inverno, justamente porque o corpo necessita de mais calorias nessa época do ano e que, em tese, seriam “queimadas” naturalmente durante as atividades diárias. Essas raízes são também fontes de proteína, minerais, vitamina A, complexo B, cálcio, fósforo e potássio, nutrientes extremamente úteis para o equilíbrio geral da saúde.

São erros que comete quando quer emagrecer. Nós damos-lhe as verdadeiras respostas para que faça as escolhas certas. Deixar de jantar não emagrece, tal como nem sempre as gorduras vegetais são mais adequadas. Descubra as crenças que só lhe complicam a vida.

A parte branca dos legumes é a mais light: De facto, têm poucas calorias, no entanto, é na parte verde das folhas dos diversos legumes que se concentram as vitaminas e os minerais. Por isso, o melhor é consumir as folhas internas e as externas e, quanto mais verde forem, mais ricas serão em vitaminas e antioxidantes.

Jantar engorda: É completamente errado fazer apenas uma refeição por dia ou saltar algumas delas para tentar emagrecer. Distribua os alimentos entre quatro a cinco refeições por dia. As mais abundantes ou energéticas devem fazer-se de manhã, enquanto os jantares devem ser mais ligeiros. Fazendo várias refeições por dia, diminui a necessidade de comer entre aquelas, o que geralmente é sinônimo de ingestão de alimentos muito calóricos ou de calorias vazias. Se come pouco, o organismo habitua-se e gasta menos calorias.

A fruta engorda mais quando comida após a refeição: Lembra-se quando lhe ensinaram, na escola, que a ordem dos factores é arbitrária? Pois bem, aqui acontece o mesmo, ou seja, a ordem em que se ingere os alimentos não tem influência no total de calorias consumidas. Um peça de fruta tem as mesmas calorias antes ou depois das refeições. A única vantagem que terá ao comê-la antes da refeição está associada ao facto de ter um alto teor de água e fibra, o que lhe vai dar a sensação de saciedade e isto pode ajudá-la a comer menos.

Gordura vegetal, a mais saudável: Na generalidade sim, porque a maioria contém ácidos gordos insaturados bons para o coração. No entanto, há óleos vegetais (palma e de coco) que se usam na elaboração industrial de alimentos e cujas gorduras são saturadas, prejudicais à saúde.

 A gordura deve provir apenas do azeite: O azeite e o peixe azul contêm ácidos gordos insaturados, que favorecem a eliminação do excesso de colesterol no sangue. Contudo, as gorduras polinsaturadas (como o óleo de girassol, de milho e soja) reduzem tanto o mau como o bom colesterol e ajudam a expulsar o mau do organismo. O azeite é ideal para cozinhar a altas temperaturas, pois não se degrada com o calor, embora perca qualidades, como o sabor e o aroma. Quando começar a deitar fumo deite-o fora, porque passa a ser tóxico.salada-vegetal

A toranja emagrece: O seu poder adelgaçante é um clássico. Tal como acontece com o sumo de limão, é atribuído ao de toranja um suposto efeito destruidor da gordura devido à sua acidez. No entanto, o ácido cítrico não destrói a gordura. Chegou-se mesmo a criar a dieta da toranja, que não foi mais do que um truque para relançar as vendas dos excedentes deste fruto.

 

Seja o primeiro a comentar!

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo: