Doenças e Tratamentos

Cálculo Renal – 12 tratamento de ter uma defesa

“Costumava achar que era capaz de suportar qualquer tipo de dor; suportava até obstruções sem anestesia mas chorei quando tive meu primeiro cálculo renal“. Se você tiver um cálculo neste momento, poderá estar também chorando de dor. Embora os médicos ainda não saibam porque algumas pessoas formam esses pequenos cristais de sal e outras substâncias minerais nos rins, uma coisa é certa: doem muito. Para alguns, a espera da eliminação do cálculo estende-se em meses de paciência e dor. Felizmente, você não será um desses. A medicina hoje dispõe de várias estratégias para elimina-lo. O que os médicos não garantem é que você não venha a desenvolve-los novamente. Depois de se ter um, o risco de outro é maior. E depois do segundo, esse risco aumenta ainda mais, padecera seis cálculos, até o ultimo, há 10 anos. Desde então, usa medicação preventiva, prescrita pelo médico e foi obrigado a fazer sérias mudanças em seu estilo de vida. Mas antes de mudar o seu estilo de vida, saiba que existem diversos tipos de cálculos renais, e só o médico é capaz de diferenciá-los. Depois dele estar familiarizado com seu cálculo em particular, as recomendações seguintes ajudarão a evitar a formação de outros.

Líquidos em abundância. Não obstante o tipo de cálculo existente, “sem sombra de dúvida a medida preventiva mais importante é aumentar o consumo de água”. Água dilui a urina e ajuda a prevenir a concentração mais elevada de sais minerais que formam os cálculos. O volume de líquido a ser ingerido deve gerar dois litros de urina por dia. “S a pessoa passou o dia trabalhando no jardim, no sol quente, isso obrigaria a ingerir cinco litros de água para obter tal efeito”, o que importa é o volume de urina. E recomenda que se urine em frasco com medida (garrafa de refrigerante, por exemplo) para saber quanto se elimina.renal

O cálcio. “De todos os cálculos, 92% são composto de cálcio ou de seus produtos”. Se você ficar sabendo, através do médico, que seu ultimo cálculo era á base de cálcio, deve se preocupar com a ingestão desse elemento. Se estiver em uso de complementação de cálcio, melhor consultar o médico se de fato é necessário. Etapa seguinte, passar em revista os alimentos ricos em cálcio leite, queijos, manteiga e laticínios. A ideia é limitar não eliminar os alimentos ricos em cálcio. “Quase todo o cálcio da dieta vem de laticínios”.

Remédios para o estômago. Certos antiácidos populares são muito ricos em cálcio, adverte o médico. Se você teve cálculo renal, e usa antiácido, veja seus ingredientes se não contem o elemento. se contiver, mude a marca.

Alimentos ricos em oxalato. Cerca de 60% dos cálcios são de oxalato de cálcio. Se o organismo estiver funcionando direito, o oxalato ingerido através de certas frutas e legumes será excretado. Mas o organismo de quem tem cálculos de oxalato de cálcio não funciona bem. Por isso, é preciso restringir os alimentos ricos nesse elemento; feijão, beterraba, aipo, chocolate, uva, pimenta verde, salsa, espinafre, morango, abóbora e chá.

Magnésio e B 6. A complementação diária com magnésio impede a recidiva da calculose em quase 90% de um grupo de pacientes. Os cientistas aventam a hipótese de que talvez o magnésio como o cálcio se coligue ao oxalato. Ao contrario da coligação cálcio-oxalato, esta não teria a propensão de formar cálculos. Por outro lado, a vitamina B6 pode na realidade reduzir o volume de oxalato na urina. Segundo pesquisa, bastam 120 miligramas ao dia.

Alimentos ricos em vitamina A. Não importa o tipo de cálculo apresentado, a vitamina A é necessária para manter em forma o revestimento das vias urinárias, ajudando a evitar formação de cálculos futuros. a recomendação oficial para adulto é de 5.000 unidades ao dia. Atingir essa cota não é difícil. Meia xícara de batata-doce, por exemplo, asseguram 7982 unidades. Uma porção semelhante de cenoura, proporciona 10 055. Entre os demais alimentos ricos em vitamina A estão o damasco, o brócolis, o cantalupe, a moranga e o fígado,(Os complementos de vitamina A, contudo, não devem ser tomados salvo com prescrição médica, A vitamina A é tóxica em doses elevadas.)

Atividade. “As pessoas inativas tendem a acumular muito cálcio na corrente sanguina”. A atividade ajuda a movimentar o cálcio de volta aos ossos, seu lugar de origem”. Noutras palavras: se você é propenso a cálculos de cálcio, não fique sentado a dia todo á espera de que se forme. Saia, dê um passeio, solte pipa, ande de bicicleta.

Ingestão de proteínas. “Há uma correlação direta entre a incidência de calculo renal e o aporte proteico na dieta. Esse aporte tende a aumentar a presença de ácido úrico, de cálcio e de fósforo na urina, o que, em algumas pessoas, leva á formação de cálculos. Não excede no consumo de proteínas se tiver cálculos renais, sobretudo quando de ácido úrico ou de cistina. Isso significa reduzir a ingestão diária para 170 g de alimentos ricos em proteína: carne de vaca, queijos, aves e peixes.renal-renal

Sal. Se você já teve calculo renal, hora de abolir o sal. “O consumo deve ser reduzido para 2 a 3 g ao dia”, recomenda o médico. Isso implica em reduzir o sal de mesa, e alimentos salgados e picantes como batata fritas e queijos industrializados.

Vitamina C.”Quem for propenso a cálculos de oxalato de cálcio, deve também restringir o consumo de vitamina C”. Em grande quantidade mais de 3 ou 4 g ao dia pode aumentar a produção de oxalato e o risco de novo caso. É muito improvável que a pessoa consuma tal quantidade na dieta normal (seria necessário 37 laranjas-de-umbigo por dia), portanto a preocupação deve recair sobre a complementação. Não use.

Vitamina D. “O abuso da vitamina D pode levar a um excedente de cálcio em todo o corpo. Nunca se deve consumir mais que a dose diária recomendada, 400 unidades.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.