Doenças e Tratamentos

O tratamento Dor Crônico da Fibromialgia

Cada um tem o seu nível de tolerância á dor, porém quando ela é constante, é difícil de suportar Esse é o caso de indivíduos que possuem a fibromialgia, uma síndrome sem característica inflamatória, mas que aumenta a  sensibilidade do indivíduo a estímulos dolorosos e apresenta um conjunto de sintomas, como cansaço, dificuldade de concentração, déficit de memórias, depressão e diminuição da capacidade  física. Desses sintomas, a dor muscular crônica é a que mais afeta a qualidade de vida dos portadores, uma vez que é sentida em várias regiões do corpo.

Estranha presença. A doença é relacionada a uma disfunção no sistema nervoso, o que acarreta em um afloramento das dores pelo corpo. Não existe uma causa definida para o aparecimento da doença, acreditam que a doença possa aparecer depois de eventos traumáticos, tanto físicos quanto psicológicos. As principais sensações são dores constantes em músculos, articulações, ligamentos e tendões, também sensação de peso, aperto e queimação em algumas regiões. E não para por aí: esses desconfortos podem piora em frios, na presença da TPM ( em mulheres)e em situações estressantes. Apesar dos incômodos rotineiros, a doença nos locais acometidos pelas pulsões. Porém, se não for devidamente tratada, pode provocar distúrbios cognitivos, como depressão e ansiedade.

Sim, a dor é real! Diagnosticar a doença não é uma tarefa fácil, uma vez que o paciente apresenta exames, muitas vezes, com resultados normais, sem a indicação de dor e pesquisas por meio de imagens também não detectam alterações. Contudo, ” elas aparecem em tomografias por emissão de pósitrons, capazes de flagrar o cérebro em funcionamento em tempo real”. Ou seja, a dor não é imaginária, entretanto, o diagnóstico de fibromialgia é somente clínico.fibroma

Os critérios do parecer médico para a fibromialgia, segundo a Associação Brasileira de Reumatologia são:

Dor por mais de três meses em todo o corpo.  Presença de pontos dolorosos na musculatura em locais como atrás da cabeça, em cima do ombro, na cervical, no trapézio e nos glúteos, por exemplo (ao menos 11 pontos, de 18 que estão pré-estabelecidos).

Rir para não chorar. A doença é uma causa, não uma consequência de transtornos psicológicos, uma vez que pacientes com fibromialgia também  desenvolvem depressão. Entretanto, não é o problema de origem psicológica que desencadeia as dores, mas o contrário. E, ainda, quanto menos saudável mentalmente o paciente está, mais as dores são agravadas. Ou seja, além de procurar cuidados pontuais com o corpo, é necessário também um acompanhamento psicológico para alavancar o sucesso das  terapias. Apoio emocional, familiar, psicoterapia e terapia em grupos de apoio são indicados por especialistas.

Inútil dormir que a dor não passa?

Por ser uma doença crônica, a fibromialgia não tem cura, mas existem tratamentos capazes de diminuir as aflições. Para isso, é preciso que o paciente busque cuidados multidisciplinares. “”Até o momento, não existem tratamentos considerados muito eficazes. Médicos podem prescrever relaxantes musculares e analgésicos, mas só medicamentos não bastam.  É preciso uma abordagem multidisciplinar, mudar o estilo de vida, a começar pelo cigarro. Pesquisas apontam que ele piora os sintomas. Já atividade física  é vista como aliada “. Tratamentos considerados alternativos, como acupuntura, também são recomendados por apresentar resultados positivos na melhora das dores.logia

Embora possa se manifestar em qualquer idade cerca de 80% dos casos são diagnosticados em mulheres com idade entre 30 e 60 anos

Interferência na qualidade do sono é frequente e afeta quase 95% dos pacientes.

Dicas para evitar a companhia do incômodo. Procure não carregar objetos muito pesados.  Não deixe que situações de estresse modifiquem sua rotina negativamente, principalmente afete o  seu sono. Se precisar ficar sentado por um tempo longo, busque varias as posições sempre visando o conforto. Sempre que puder, aposte em atividades relaxantes para suavizar as tensões da mente e do corpo. Exercitar-se com frequência também é positivo: com a prática, o organismo libera endorfina e outros neurotransmissores com ação analgésica que ajudam a aliviar as dores e afastar a depressão.

Fator XX . o sexo  feminino é bastante lembrado quando fala-se nesse distúrbio. De acordo com a Associação Brasileira de Reumatologia, a cada 10 pacientes com fibromialgia, de sete a nove  são mulheres. Mas, o motivo para tal dado é incerto, não encontraram relação com hormônios, uma vez que a doença afeta mulheres tanto antes quando depois da menopausa.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.